Desempenho ocupacional de mulheres em situação de rua / Occupacional performance of homeless women

Thayane de Cácia Brito Prudente, Rayssa Béder César Paiva, Daniela Tavares Gontijo

Resumo


Introdução: A população em situação de rua caracteriza-se predominantemente pela falta de moradia regular, condição de pobreza extrema e vínculos rompidos ou fragilizados. No entanto, a vida na rua e o acesso aos serviços socioassistenciais tendem a não se configurar da mesma forma para homens e mulheres. Considerando a perspectiva do desempenho ocupacional, os terapeutas ocupacionais se preocupam com os fatores que influenciam o envolvimento dos sujeitos em ocupações. Objetivo: compreender o desempenho ocupacional de mulheres em situação de rua. Métodos: Estudo de abordagem qualitativa, com base na História Oral de Vida. A coleta de dados foi realizada em dois serviços socioassistenciais do Recife que atendem pessoas em situação de rua.  Os dados foram coletados através de entrevistas semiestruturadas e submetidos à Análise de Conteúdo Temática. Resultados/discussão: Foram entrevistadas 8 mulheres com idades entre 20 a 39 anos. A análise resultou em três categorias temáticas: Desempenho Ocupacional na infância, Ida para rua e Desempenho Ocupacional na rua. As categorias forma dividias em: Atividades de Vida Diária (AVDs), Atividades Instrumentais de Vida Diária (AIVDs), Trabalho, Lazer e Participação Social. Observou-se que as mulheres em situação de rua vivenciam um processo de privação ocupacional pela situação de desfiliação em que vivem, com repercussão negativa na qualidade de vida. Conclusão: Neste estudo pode-se observar a dificuldade das mulheres em realizar todas as ocupações, justificando a intervenção da Terapia Ocupacional para favorecer o empoderamento pessoal, a ressignificação do cotidiano e exercício da cidadania. 


Abstract

Introduction: The population in street situation is predominantly characterized by a lack of regular housing, an extreme poverty and  weakened or broken bonds. However, street living and access to social assistance services tend not to be configured in the same way for men and women. Considering the perspective of occupational performance, occupational therapists are concerned with factors that influence the subjects' engagement in occupations. Objective: To understand the occupational performance of women who are homeless. Method: A qualitative study based on the Oral Story of Life. The data collection was performed in two social assistance services in the city of Recife that receive people who live on streets. Data were collected through semi-structured interviews and submitted to the Thematic Content Analysis. Results/Discussion: Eight women aged 20 to 39 years were interviewed. The analysis resulted in three thematic categories: Occupational Performance in childhood, Going to the streets and Occupational Performance in the streets. The categories were divided into Activities of Daily Living (ADLs), Instrumental Activities of Daily Living (IADLs), Work, Leisure and Social Participation. It was observed that homeless women experience a process of occupational deprivation with negative repercussions on the quality of life due to the situation of disaffiliation in which they live. Conclusion: In this study it is possible to observe the women's difficulty to perform all the occupations, justifying the intervention of the Occupational Therapy to favor the personal empowerment, the resignification of the daily life and the exercise of the citizenship.

Keywords: Homeless persons, Autobiography, Gender identity, Women, social Vulnerability, Occupational therapy.



Palavras-chave


Autobiografia; Identidade de gênero; Mulheres; Pessoas em situação de rua; Terapia ocupacional; Vulnerabilidade social.

Texto completo:

PDF

Referências


Strapasson K; Pamplona DA. O direito em contradição: direitos humanos, atuação estatal e população em situação de rua. Rev. Pol. Publ. 2014; 18(2): 439-456. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rppublica/article/view/3149

Brasil, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome. Política Nacional de Inclusão Social da população em situação de rua. Disponível em: http://www.recife.pe.gov.br/noticias/arquivos/2297.pdf. Acesso em: 16 de Maio de 2017.

Brasil, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome. Rua: aprendendo a contar. I Censo e Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua. Disponível em: http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Livros/Rua_aprendendo_a_contar.pdf. Acesso em: 23 de Novembro de 2017.

Monteiro FKV; Almeida LP. A exclusão social de mulheres moradoras de rua: questões de gênero e políticas sociais. In: Ebook Chile: território(s), género, trabajo y políticas públicas en América Latina. Editora Provocare; 2017, p. 117-128.

Coelho CM. A mulher em situação de rua e a violência de gênero: um olhar a partir do grupo de mulheres. [Trabalho de Conclusão de Curso]. Santa Catarina: Universidade Federal de Santa Catarina; 2016.

Tiene I. Mulher moradora de rua: entre vivências e políticas sociais. São Paulo. Editora Alínea, 2004.

Lancellotti HP. Do povo da rua à população carcerária: mulheres, rua e prisão. [Monografia]. Brasília: Universidade de Brasília; 2013.

Scott JW. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Rev. Educ. Real. 1990; 16(2): 5-22. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/71721/40667

Monteiro RJS; Gontijo DT; Facundes VLD; Vasconcelos ACS. “Pensando como um menino é mais fácil”: construções sobre as relações de gênero no discurso de meninas adolescentes. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo. 2015; 26(2): 207-215. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rto/article/viewFile/87928/101717

Tilio R; Oliveira J. Cuidados e atenção em saúde da população em situação de rua. Psicol. Est. 2016; 21(1): 101-113. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/PsicolEstud/article/view/27142

Blanco YH. Mulheres em situação de rua: reflexões sobre a Educação em Direitos Humanos. [Trabalho de Conclusão de Curso]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2016.

Associação Americana de Terapia Ocupacional -- AOTA. Estrutura da prática da Terapia Ocupacional: domínio & processo. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo. 2015; 26: 1-49. Edição especial

Carleto DGS; Alves HC; Gontijo DT. Promoção de Saúde, Desempenho Ocupacional e Vulnerabilidade Social: subsídios para a intervenção da Terapia Ocupacional com adolescentes acolhidas institucionalmente. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo. 2010; 21(1): 89-97. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rto/article/view/14090/15908

Towsend E; Marval R. Profissionais podem realmente promover a justiça ocupacional? Cad. Ter. Ocup. UFSCar. 2013; 21(2): 229-242. Disponível em: http://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/810/434

Bortoli SR. Elas e nós. A representação de mulheres em situação de rua nas notícias jornalísticas. In: VII Congresso de estudantes de pós-graduação em comunicação, UERJ/ UFF/UFRJ/PUC-RIO/FIOCRUZ. Rio de Janeiro, 23 a 25 de Setembro, 2013.

Meihy JCSB. Manual de História oral. São Paulo. Edições Loyola; 2002.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome. Orientações Técnicas: Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua Centro Pop. Disponível em: http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/orientacoes_centro_pop.pdf. Acesso em: 16 de Maio de 2017.

Gomes R. A análise de dados em pesquisa qualitativa. In: Minayo, MCS (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis. Vozes; 2002.

Bardin L. Análise de Conteúdo. São Paulo. Edições 70 -- Brasil, 2011.

Bezerra WC; Firmino GCS; Javarrotti ES; Melo JVM; Calheiros PFF; Silva RGLB. O cotidiano de pessoas em situação de rua: rupturas, sociabilidades, desejos e possibilidades de intervenção da Terapia Ocupacional. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. 2015; 23(2): 335-346. Disponível em: http://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/1005

Costa SL; Vida CPC; Gama IA; Locatelli NT; Karam BJ; Ping CT; Massari MG; Paula TB; Bernardes AFM. Gestantes em situação de rua no município de Santos, SP: reflexões e desafios para as políticas públicas. Saúde Soc. São Paulo. 2015; 24(3): 1089-1102. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v24n3/0104-1290-sausoc-24-03-01089.pdf

Romera L. As drogas e os cenários de lazer. Licere. 2014, 17(3): 303-317.

Brasil. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Atenção Primária e Promoção da Saúde. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Brasília: CONASS, 2011.197 p.

Gontijo DT; Medeiros M. Crianças e adolescentes em situação de rua: contribuições para a compreensão dos processos de vulnerabilidade e desfiliação social. Ciênc. & Saúde Coletiva. 2009; 14(2): 467-475. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232009000200015

Carmo BSC et al. Sonhos e realidades: um olhar sobre a trajetória de vida das mulheres em situação de rua. [Trabalho de Conclusão de Curso]. Presidente Prudente: Faculdade de Serviço Social de Presidente Prudente; 2014.

Antoni C; Munhós AAR. As violências institucional e estrutural vivenciadas por moradoras de rua. Psicol. Est. 2016; 21(4): 641-651. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/PsicolEstud/article/view/31840/pdf

Rosario GO. Análise das condições e modos de vida de mulheres em situação de rua em Porto Alegre -- RS. [Dissertação de Mestrado]. Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; 2015.

Castel R. As armadilhas da exclusão. In: Wanderley, M; Bògus, L; Yazbek, MC. Desigualdade e a questão social. São Paulo. Editora EDUC; 1998.

Silva MLL. Mudanças recentes no mundo do trabalho e o fenômeno população em situação de rua no Brasil 1995-2005. [Dissertação de Mestrado]; Brasília: Universidade de Brasília, 2006.

Soares LCO; Ruzzi-Pereira A; Pereira PE; Souza ACA; Andrade VS. Papéis ocupacionais de mulheres que fazem uso abusivo de substâncias psicoativas. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo. 2013; 24(3): 199-207. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rto/article/viewFile/52375/87153


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

      

       

    Resultado de imagem para REDIB