Percepção de trabalhadores sobre o adolescente em cumprimento de medida socioeducativa de internação/Perceptions of workers on the adolescente in compliance with socioeducative measurement of internation

José Júnior Bezerra da Silva, Magda Fernanda Lopes de Oliveira Andrade

Resumo


O presente estudo teve como objetivo conhecer a percepção de trabalhadores do sistema socioeducativo sobre o adolescente em cumprimento da medida de internação, considerando que essa percepção influencia diretamente na maneira como a medida é executada. Trata-se de um estudo exploratório de campo, com abordagem qualitativa, que utilizou como instrumento para a coleta de dados uma entrevista semiestruturada, na qual os resultados foram tratados com a análise de conteúdo na modalidade temática. Como resultados foram elencadas três categorias temáticas: 1) Motivos que levam ao ato infracional e os responsáveis por esses adolescentes; 2) O trabalho nas medidas socioeducativas de internação; 3) Entre a vítima e o vilão: A percepção dos trabalhadores sobre a efetividade das medidas socioeducativas de internação. Os trabalhadores percebem o adolescente sob a ótica do estigma de infrator. Acredita-se que essa percepção, que destacou a família como a grande responsável pelo rompimento social do adolescente, influencia diretamente no curso do cumprimento da medida, inclusive na efetivação.  É necessário ampliar essas discussões sobre os trabalhadores que participam da execução da medida socioeducativa de internação, para contribuição e reflexão sobre o seu processo de trabalho e sua interferência no direcionamento de vidas.

 

Abstract

The present study had as objective to know the perception of workers of the socioeducative system on the adolescent in fulfillment of the hospitalization measure considering that this perception directly influences in the way the measurement is executed. It is an exploratory field study, with a qualitative approach, which used as a data collection instrument a semi-structured interview, in which the results were treated with the content analysis in the thematic modality. As results were listed three thematic categories: 1) Motives that lead to the infraction and those responsible for these adolescents; 2) Work on socio-educational measures of hospitalization; 3) Between the victim and the villain: The workers' perception about the effectiveness of the socio-educational measures of hospitalization. The workers perceive the adolescent from the perspective of the stigma of the offender. It is believed that this perception, which highlighted the family as the major responsible for the social disruption of the adolescent, directly influences the course of compliance of the measure, including its effectiveness. It is necessary to broaden these discussions on the workers who participate in the implementation of the socio-educational measure of hospitalization, for contribution and reflection on their work process and their interference in directing lives.

Key words: Perception; Adolescent; Justice; Occupational Therapy.

 

Resumen

El presente estudio tuvo como objetivo conocer la percepción de trabajadores del sistema socioeducativo sobre el adolescente en cumplimiento de la medida de internación considerando que esa percepción influye directamente en la manera como la medida es ejecutada. Se trata de un estudio exploratorio de campo, con abordaje cualitativo, que utilizó como instrumento para la recolección de datos una entrevista semiestructurada, en la cual los resultados fueron tratados con el análisis de contenido en la modalidad temática. Como resultados se enumeraron tres categorías temáticas: 1) Motivos que llevan al acto infraccional y los responsables de esos adolescentes; 2) el trabajo en las medidas socioeducativas de internación; 3) Entre la víctima y el villano: La percepción de los trabajadores sobre la efectividad de las medidas socioeducativas de internación. Los trabajadores perciben al adolescente bajo la óptica del estigma de infractor. Se cree que esa percepción, que destacó a la familia como la gran responsable por el rompimiento social del adolescente, influye directamente en el curso del cumplimiento de la medida, incluso en la efectividad. Es necesario ampliar esas discusiones sobre los trabajadores que participan en la ejecución de la medida socioeducativa de internación, para contribuir y reflexionar sobre su proceso de trabajo y su interferencia en el direccionamiento de vidas.

Palabras clave: Percepción; Adolescente; Justicia; Terapia Ocupacional.

 


Palavras-chave


Percepção; Adolescente; Justiça; Terapia Ocupacional.

Texto completo:

PDF

Referências


Gallo AE.Atuação do psicólogo com adolescentes em conflito com a lei: a experiência do Canadá.Psicol. Estud. 2008;13 (2): 327-334.

Brasil. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei Federal nº 8.069, de 13 de julho de 1990. 9º ed. Brasília. Edições Câmara; 2012.

Veronese J R; Lima FS.O Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase): breves considerações. Rev. Bras. Adolescência e Conflitualidade. 2009; 1(1): 29-46.

Alagoas. Superintendência de Medidas Socioeducativas-SUMESE. Secretaria de Estado de Prevenção à Violência- SEPREV. Manual de Segurança SUMESE. 2016. Disponível em Acesso em 26 de Fevereiro de 2018.

Goffman E. Manicômios, prisões e conventos. 9º ed. São Paulo;1961.

Minayo MCS. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade.16º ed. Rio de Janeiro. Vozes; 2018.

Bardin L. Análise de conteúdo. 6º ed. São Paulo;2011.

CastelR. A dinâmica dos processos de marginalização: da vulnerabilidade a “desfiliação. Caderno CRH. 1997; 26/27: 19-40.

Feijó MC; Assis SG. O contexto de exclusão social e de vulnerabilidades de jovens infratores e de suas famílias. Estud. psicol.2004; 9 (1):157-166.

Santos DR;Fedeger AM.O terapeuta ocupacional no processo de ressocialização de adolescentes em conflito com a lei privados de liberdade: transformação através da ocupação. Rev. ter. ocup. São Paulo. 2008;19(2):100-107.

Meggiato JR. A Medida socioeducativa de internação: posicionamentos teóricos e perspectivas de avanços à Doutrina de Proteção Integral.[Tese].Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; 2011.

Schenker M;Minayo MCS. A implicação da família no uso abusivo de drogas: uma revisão crítica. Ciênc. Saúde Colet. 2003; 8 (1): 299-306.

GoffmanE. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada.1º ed.4º ed. EditoraLTC; 1988.

Vidal AS.Adolescentes em medida socioeducativa um estudo sobre estigma. [Tese].Porto Alegre:Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2014.

GoffmanE. Arepresentação do eu na vida cotidiana.Rio de Janeiro: Vozes; 2009.

Foucault M. Vigiar e punir: o nascimento da prisão.Rio de Janeiro: Vozes; 2009.

ScisleskiACC et al. Medida socioeducativa de internação: estratégia punitiva ou protetiva? Psicol. Soc. 2015 ;27 (3): 505-515.

Borges KE. A medida socioeducativa de internação: tensão entre o caráter educativo e o punitivo.[Tese]. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC-SP. 2014.

Gonçalves MV. “Eu nem sabia que podia entrar aqui”: promoção de cidadania cultural como experiência de ressignificação de identidade de jovens em conflito com a lei. Cad. Bras. Ter. Ocup.2016; 24(1).

Borba PLO.Juventudes marcadas: relações entre ato infracional e a escola pública em São Carlos.[Tese]. São Paulo: Universidade Federal de São Carlos; 2012.

Padovani AS. Vozes aprisionadas: sentidos e significados da internação para adolescentes autores de atos infracional. [Tese]. Salvador: Universidade Federal da Bahia, Instituto de Psicologia; 2013.

Pereira TCS; Reis JN; Costa LA. Autor e vítima: a vulnerabilidade social de jovens que cometeram atos infracionais em Belo Horizonte. Rev. ter. ocup. São Paulo. 2015; 26 (2): 258-266.

Lopes MDC. Significados atribuídos por agentes socioeducativos ao fenômeno da privação de liberdade feminina.[Tese]Rio Grande do Sul: Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); 2013.

Belluzzo L; Victorino RC. A Juventude nos Caminhos da Ação Pública.São Paulo perspect.2004; 18 (14).

Padovani AS; Ristum M. A escola como caminho socioeducativo para adolescentes privados de liberdade. Educ. Pesqui. São Paulo. 2013; 39(4):969-984.

Alves PB et al. Instituições de atendimento socioeducativo a adolescentes em situação de risco do Distrito Federal: panorama e perspectivas. Rev. med. PUCRS. Porto Alegre. 2007; 38(2):166-173.




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto23997

Apontamentos



Direitos autorais 2019 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

   

           

   Resultado de imagem para REDIB