Vivendo a queimadura: relato de experiência e correlação com a literatura/Living the burn: experience report and correlation with literature

Mariana Midori Sime, Camila Favero Fiorin, Teresinha Cid Constantinidis

Resumo


A queimadura provoca uma mudança abrupta na aparência do indivíduo e na função do seu corpo, levando-o à necessidade de vários cuidados por um longo período de tratamento. Durante e após a hospitalização surgem vários problemas emocionais, como estresse, ansiedade, depressão, medo, frustração, além do desconhecimento do processo de recuperação e cicatrização da pele, que afetam o desempenho dos papéis ocupacionais do sujeito. O presente trabalho relata a vivência da queimadura desde o centro de tratamento de queimados até a retomada das atividades, sob a ótica de quem vivenciou. Caracteriza-se como um estudo qualitativo e um relato de experiência, em que uma das pesquisadoras, estudante de um curso de graduação em terapia ocupacional, vivenciou e não apenas observou os fatos abordados. Como estudante de terapia ocupacional foram refletidas e discutidas possíveis intervenções deste profissional que podem contribuir no tratamento de pacientes queimados em todas as etapas da reabilitação. Tais intervenções são direcionadas aos desejos do sujeito e na diminuição do sofrimento no contexto hospitalar, na retomada das atividades do cotidiano, na reinserção deste na sociedade e nas suas redes de pertencimento, podendo possibilitar a este indivíduo um maior bem-estar. Ao fazer a correlação com a literatura pôde-se compreender que a terapia ocupacional junto ao tratamento de pacientes queimados tem um importante papel para a recuperação desse indivíduo. Além disso, espera-se que este trabalho possa colaborar com a produção de conhecimento da área, influenciando um melhor atendimento a esta população.

Abstract

The burn causes an abrupt change in the individual’s appearance and function of his/her body, leading to the need of many cares for a long period of treatment. During and after hospitalization appear many emotional problems such as stress, anxiety, depression, fear, frustration, besides the unknown about the recovery process and healing of the skin, which affect the performance of the person’s occupational roles. This paper reports a burn experience since burn treatment center until the return of activities, from a perspective of who had lived it. It is characterized as a qualitative study and an experience report, which one of the researchers, and student of an undergraduate occupational therapy course, not only had lived, but also observed the facts covered. As an occupational therapy student, were reflected and discussed interventions of this professional that can help in the treatment of patients who suffered burn, in all stages of the rehabilitation. These interventions are directed by the wishes of the patient and to decrease of suffering in the hospital context, recovery of daily activities, reinsertion of the patient on the society and in their cycle of activities, making possible more well-being to this person. When correlating with the literature was possible to understand that the occupational therapy associated with the treatment of burn patients has an important role for the recovery of this patient. Besides that, it is expected that this work can contribute with the knowledge production, influencing a better service to this people.

Key words: Burns, Occupational Therapy, Patients, Rehabilitation.

Resumen

La quemadura provoca un cambio abrupto en la apariencia del individuo y en la función de su cuerpo, llevándolo a la necesidad de varios cuidados por un largo período de tratamiento. Durante y después de la hospitalización surgen varios problemas emocionales, como estrés, ansiedad, depresión, miedo, frustración, además del proceso de recuperación y cicatrización de la piel, que afectan el desempeño de los papeles ocupacionales del sujeto. El presente trabajo relata la vivencia de la quemadura desde el centro de tratamiento de quemados hasta la reanudación de las actividades, bajo la óptica de quien vivenció. Se caracteriza como un estudio cualitativo y un relato de experiencia, en el que una de las investigadoras, estudiante de un curso de graduación en terapia ocupacional, vivenció y no sólo observó los hechos abordados. Como estudiante de terapia ocupacional fueron reflejadas y discutidas posibles intervenciones de este profesional que pueden contribuir en el tratamiento de pacientes quemados en todas las etapas de la rehabilitación. Estas intervenciones se dirigen a los deseos del sujeto y en disminución del sufrimiento en el contexto hospitalario, en la reanudación de las actividades del cotidiano, en la reinserción de éste en la sociedad y en sus redes de pertenencia, pudiendo posibilitar a este individuo un mayor bienestar. Al hacer la correlación con la literatura se pudo comprender que la terapia ocupacional junto al tratamiento de pacientes quemados tiene un importante papel para la recuperación de ese individuo. Además, se espera que este trabajo pueda colaborar con la producción de conocimiento del área, influyendo en una mejor atención a esta población.

Palabras clave: Quemaduras, Terapia Ocupacional, Pacientes, Rehabilitación. 

 

 


Palavras-chave


Queimaduras, Terapia Ocupacional, Pacientes, Reabilitação.

Texto completo:

PDF

Referências


Helm PA, et al. Reabilitação de Queimados. In: Delisa JA; Gans BM. Tratado de Medicina de Reabilitação: princípios e prática. 3ª ed. São Paulo: Manole; 2002. p. 1653-1677.

Costa MCS, et al. Significados de qualidade de vida: análise interpretativa baseada na experiência de pessoas em reabilitação de queimaduras. Rev. Latino-Am. Enfermagem. São Paulo. 2008; 16(2):252-259. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692008000200013.

Guimarães GT. Aspectos da teoria do cotidiano: Agnes Heller em perspectiva. In: Guimarães GTD; Fernandes I. Porto Alegre: EDIPUCRS; 2002. p. 147.

Chini COG; Boemer RM. A amputação na percepção de quem a vivência: um estudo sob a ótica da fenomenológica. Rev. Latino-Am. Enfermagem. Ribeirão Preto. 2007; 15(2):330-336. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692007000200021.

De Castro ANP; Júnior EML. Desenvolvimento e validação de cartilha para pacientes vítimas de queimaduras. Rev Bras Queimaduras. Fortaleza. 2014; 13(2):103-13. [Acesso em 03 dez 2015]. Disponível em: http://rbqueimaduras.org.br/details/202/pt-BR/desenvolvimento-e-validacao-de-cartilha-para-pacientes-vitimas-de-queimaduras.

Carlucci VDS, et al. A experiência da queimadura na perspectiva do paciente. Rev Esc Enferm USP. São Paulo. 2007; 41(1):21-28. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342007000100003.

Rodrigues Júnior JL, et al. Terapia Ocupacional em queimados: pesquisa bibliográfica acerca da reabilitação física junto a indivíduos com queimaduras. Rev Bras Queimaduras. Belém. 2014; 13(1):11-17. [Acesso em 10 out. 2015]. Disponível em: http://www.rbqueimaduras.org.br/detalhe_artigo.asp?id=193.

Siqueira FMB; Juliboni EPK. O papel da atividade terapêutica na reabilitação do indivíduo queimado em fase aguda. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. São Carlos. 2000; 8(2):79-91. [Acesso em 20 out. 2015]. Disponível em: http://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/239/192.

Rolnik S. Subjetividade, ética e cultura nas práticas clínicas. Cadernos de Subjetividade, 1995; 3(2):305-314.

Schewinsky SR. A barbárie do preconceito contra o deficiente – todos somos vítimas. Acta Fisiátr. 2004; 11(1):7-11. [Acesso em 10 out. 2015]. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/viewFile/102465/100777.

Rafacho AM, et al. A Terapia Ocupacional no Contexto da Humanização Hospitalar. Anais do 11º Encontro Latino Americano de Iniciação científica e 7º encontro latino americano de iniciação científica. Vale do Paraíba. 2007; 11(7):2031-2034. [Acesso em 10 out. 2015]. Disponível em: http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2007/trabalhos/saude/epg/EPG00391_02C.pdf.

Gomes MGJPB. A interconsulta de Terapia Ocupacional no Hospital Geral: um convite feito há mais de dez anos. Revista CETO. 2010; 12(12):21-26. [Acesso em 02 set. 2015]. Disponível em: http://www.ceto.pro.br/revistas/12/12-04.pdf .

De Carlo MMRP, et al. Terapia Ocupacional em contextos hospitalares. Prática hospitalar. São Paulo. 2006; 8(43):158-164.

Duarte MLC, et al. Percepções da equipe de enfermagem sobre seu trabalho em uma unidade de queimados. Rev. Gaúcha Enferm. Porto Alegre. 2012; 1(33):77-84. [Acesso em 07 out. 2015]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472012000100011.

Pupulim JSL; Sawada NO. Percepções de pacientes sobre a privacidade no hospital. Rev Bras Enferm. Brasília. 2012; 65(4):621-629. [Acesso em 17 nov. 2015]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v65n4/a11v65n4.pdf.

Sarti CA. A família como ordem simbólica. Psicologia USP. 2004; 15(3):11-28. [acesso em 2015 out. 10]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pusp/v15n3/24603.pdf .

Carvalho FL; Rossi LA. Impacto da queimadura e do processo de hospitalização em uma unidade de queimados sobre a dinâmica familiar: revisão de literatura. Ciência, cuidado e saúde. Maringá. 2006; 5(2):243-254. [Acesso em 02 nov. 2015]. Disponível em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/5088/3300.

Goyatá SLT, et al. Diagnósticos de enfermagem de familiares de pacientes adultos queimados no período próximo à alta hospitalar. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2006; 14(1):102-109. [Acesso em 02 set. 2015]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692006000100014.

Benetton J, et al. Hábitos, cotidiano e Terapia Ocupacional. Revista CETO. São Paulo. 2003; 8(8): 27-40.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

      

       

    Resultado de imagem para REDIB