Terceirização do trabalho no Brasil: a regulamentação em disputa

Isabela Fadul de Oliveira

Resumo


RESUMO:

Este texto tem como objetivo refletir sobre o processo recente de regulamentação das relações de trabalho terceirizado no Brasil. Para tanto, partimos de uma breve apresentação sobre a forma como foi organizado o sistema de regulamentação e proteção social do trabalho no país, identificando o contrato individual de emprego como um dos seus eixos estruturantes. Em seguida, localizamos o início do debate jurídico sobre a terceirização nos anos 1990 e destacamos os aspectos principais da disputa em torno da sua regulamentação. Ao final, examinamos as mudanças introduzidas pelas Leis 13.429/2017 e 13.467/2017 no ordenamento jurídico trabalhista, procurando demonstrar como seu conteúdo normativo põe em xeque a estrutura do Direito do Trabalho no país e promove as condições para a livre exploração do trabalho terceirizado, respondendo aos anseios da classe patronal e resultando em perda de direitos para a classe trabalhadora. 

ABSTRACT:

This text aims to reflect about the recent process of regulation of outsourced work relationships in Brazil. Therefore, we start with a brief presentation about how the system of regulation and social protection of work in the country was organized, identifying the individual employment contract as one of its structuring axes. Next, we locate the beginning of the legal debate about the outsourcing in the 1990s and highlight the main aspects of the dispute over its regulation. In the end, we examine the changes introduced by Laws 13,429 / 2017 and 13,467 / 2017 in the labor legal system, trying to demonstrate how its normative content puts the structure of Labor Law in the country in check and promotes the conditions for the free exploitation of outsourced work, responding to the wishes of the employers’ class and resulting in loss of rights for the working class. 


Palavras-chave


Trabalho; Terceirização; Regulamentação; Precarização; Brasil

Texto completo:

PDF

Referências


ANAMATRA. Trabalho, justiça e sociedade: o olhar da magistratura trabalhista do trabalho sobre o Brasil do século XXI. Relatório de pesquisa. CESIT/IE/ANAMATRA, Campinas, 2008, 108p.

ASSERTTEM - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS TERCEIRIZÁVEIS E DE TRABALHO TEMPORÁRIO. Livro 40 anos da ASSERTTEM. Disponível em Acesso em: 12 mar. 2018.

BOLTANSKI, L.; CHIAPELLO, E. O novo espírito do capitalismo. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

BRASIL. Congresso Nacional. Projeto de lei PL 1.347/1973 que dispõe sobre o trabalho temporário nas empresas urbanas e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2018.

BRASIL. Congresso Nacional. Projeto de lei PL 4.302/1998 que dispõe sobre as relações de trabalho nas empresas de trabalho temporário e na empresa de prestação de serviços e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2018.

BRASIL. Congresso Nacional. Projeto de lei PL 4.330/2004 que dispõe sobre o contrato de prestação de serviços a terceiros e as relações de trabalho dele decorrentes. Disponível em . Acesso em: 12 mar. 2018.

CAMPOS, A. G. Terceirização do trabalho no Brasil: novas e distintas perspectivas para o debate. Brasília: IPEA, 2018.

CARDOSO, A. C. A construção da sociedade do trabalho no Brasil: uma investigação sobre a persistência secular das desigualdades. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

CARELLI, R. L. Terceirização e intermediação de mão-de-obra: ruptura do sistema trabalhista, precarização do trabalho e exclusão social. Rio de Janeiro: Renovar, 2003.

CASTEL, R. La montée des incertitudes: travail, protections, statut de l'individu. Paris: Seuil, 2009.

CNI - CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA. 101 propostas para modernização trabalhista. Brasília: CNI, 2012.

DELGADO, M. G. A reforma trabalhista no Brasil: com comentários à Lei 13.467/1017. São Paulo: LTr, 2017.

DELGADO, M. G. Curso de direito do trabalho. São Paulo: LTr, 2015.

DIEESE. Os trabalhadores frente à terceirização. Pesquisa DIEESE, São Paulo, n. 7, 1993.

DIEESE. Terceirização e precarização das condições de trabalho: condições de trabalho e remuneração em atividades tipicamente terceirizadas e contratantes. Nota Técnica. N.172, março 2017, 25p. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2018.

DRUCK, G. A indissociabilidade entre precarização social do trabalho e terceirização. In: TEIXEIRA, M.; RODRIGUES, H.; COELHO, E. (Org.) Precarização e terceirização: faces da mesma realidade. São Paulo: Sindicato dos Químicos, 2016, p. 35-58.

DRUCK, G. Precarização social do trabalho. In: IVO, A.B.L (Coord.). Dicionário temático desenvolvimento e questão social. São Paulo: Annablume, 2013, pp. 373-381.

DRUCK, G. Trabalho, precarização e resistências: novos e velhos desafios? Cadernos CRH, Salvador, v. 24, n. 01, pp. 37-57, 2011.

DRUCK, G.; FILGUEIRAS, V. A epidemia da terceirização e a responsabilidade do STF. Revista TST, Brasília, v. 80, n. 3, jul/set 2014, p. 106-125.

EDELMAN, B. A legalização da classe operária. São Paulo: Boitempo, 2016.

ESTADÃO. Congresso eleito é o mais conservador desde 1964, afirma Diap. Disponível em: . Acesso em: 9 ago. 2017.

FARIA, J. E. O direito na economia globalizada. São Paulo: Malheiros, 1999.

FARIA, J. E. Sociologia jurídica: direito e conjuntura. São Paulo: Saraiva, 2008.

GIMENEZ, D. M.; KREIN, J. D. Terceirização e o desorganizado mercado de trabalho brasileiro. In: TEIXEIRA, M.; RODRIGUES, H.; COELHO, E. (Org.) Precarização e terceirização: faces da mesma realidade. São Paulo: Sindicato dos Químicos, 2016, p. 17-34.

HARVEY, D. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Loyola, 1992.

KREIN, J. D.; GIMENEZ, D. M.; SANTOS, A. L. (org.) Dimensões críticas da reforma trabalhista no Brasil. Campinas: Curt Nimuendajú, 2018.

MARTINS, H. S.; RAMALHO, J. R. (Org.) Terceirização: diversidade e negociação no mundo do trabalho. São Paulo: Hucitec, 1994.

MASCARO, A. L. Estado e forma política. São Paulo: Boitempo, 2013.

MAUAD, M. Cooperativas de trabalho: sua relação com o direito do trabalho. São Paulo: LTr, 1999.

OLIVEIRA, I. F. A terceirização e as condições de eficácia da legislação trabalhista no Brasil. Tese (Doutorado em Direito). Faculdade de Direito. Universidade de São Paulo, 2004.

PINTO, J. A. R. Curso de direito individual do trabalho. São Paulo: LTr, 2003.

QUEIROZ, Antônio Augusto. As razões da eleição de um Congresso conservador. Disponível em: http://www.diap.org.br/index.php/noticias/artigos/24542-as-razoes-da-eleicao-de-um-congresso-conservador. Acesso em: 2 mar. 2019.

RODRIGUEZ, A. P. Princípios de direito do trabalho. São Paulo: LTr, 2015.

SANTOS, W. G. Cidadania e justiça: política social na ordem brasileira. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

SILVA, L. P. P. Principiologia do direito do trabalho. São Paulo: LTr, 1999.

TEIXERA, M. O. A presença de cláusulas sobre terceirização nos instrumentos coletivos. In: CUT (org.). Terceirização e negociação coletiva. São Paulo: FES/CUT, 2014, p. 21-39.

TOLEDO, E. G. La flexibilidad del trabajo en América Latina. In: TOLEDO, E. G. (Coord.). Tratado latinoamericano de sociología del trabajo. México, D.F.: Fondo de Cultura Econômica, 2003, p.143-178.




DOI: https://doi.org/10.21875/tjc.v4i2.24401

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Isabela Fadul de Oliveira



ISSN 2526-0464

Indexada em: / Indexed by: