A Viabilidade Econômica da implantação de Energia Solar Fotovoltaica para a redução dos custos com energia elétrica das famílias com diferentes níveis de renda: uma análise para a região norte de Mato Grosso

Wylmor Constantino Tives Dalfovo, Paola Carla Zilio, Geovane Paulo Sornberger, Arlete Redivo

Resumo


A busca por fontes energéticas renováveis tornou-se um dos grandes desafios às economias do mundo, e neste contexto, a utilização da energia solar fotovoltaica é vista como uma alternativa econômica e sustentável em vários setores. No Brasil, esta inovação tem se destacado, pois o país possui condições climáticas favoráveis para sua geração com intensa luminosidade na maioria das regiões do país, contribuindo por diversificar a matriz enérgica brasileira. Assim, o presente estudo tem como objetivo analisar a viabilidade econômico-financeira da utilização da energia solar fotovoltaica como alternativa para a redução dos gastos com energia elétrica tradicional em domicílios com renda domiciliar alta, média e baixa (considerando os padrões de consumo e renda) no município de Sinop-MT. A metodologia englobou uma análise de viabilidade econômica e do emprego de uma regressão linear múltipla, buscando verificar a relação entre o aumento da renda e consumo de energia tradicional e os indicadores financeiros para a implantação da energia fotovoltaica nos domicílios de acordo com a renda de seus moradores. Os resultados demonstraram que o projeto da implantação de energia solar fotovoltaica é viável economicamente para domicílios com renda domiciliar alta, e inviável economicamente para domicílios de média e baixa renda. Paralelo a isso, o resultado da regressão linear demonstrou que aumentar em 1% a renda familiar aumentaria os gastos com energia em 0,4034%, motivando a implantação do modelo fotovoltaico. A estimação demonstrou significância estatística a 1% e R2 em 30,91%, demonstrando haver uma relação entre as variáveis analisadas. O teste F indicou rejeição da hipótese nula de não significância conjunta das variáveis com Intervalo de Confiança de 99%. Os testes de Breush-Pagan e de White indicaram que os resíduos são heterocedásticos, rejeitando a hipótese nula que estes seriam homocedásticos. O teste VIF abaixo de 10 demonstrou não haver multicolineariedade para as variáveis.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21446/scg_ufrj.v0i0.23111

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Wylmor Constantino Tives Dalfovo, Paola Carla Zilio, Geovane Paulo Sornberger, Arlete Redivo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores: 

Directory of Open Access Journals SPELL Scholar EBSCO

 
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vínculo Institucional:

Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis 
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) 
Av. Pasteur, 250 - Urca - Rio de Janeiro - 22.290-240 
Tel./Fax: (21) 3938-5119

Ficha Catalográfica:

Sociedade, Contabilidade e Gestão [recurso eletrônico]/ Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio de Janeiro. -- v. 1, n. 1, 2° semestre de 2006 -- Rio de Janeiro: UFRJ, 2006-.v. 
Quadrimestral 
Semestral 2006-2012
ISSN 1982-7342

1. Contabilidade e Gestão. I. Universidade Federal do Rio de Janeiro -- Faculdade de Administração e Ciências Contábeis.