O Perfil da Disciplina Contabilidade Rural nas Universidades Federais Brasileiras: Uma Análise Após Adoção do CPC 29/IAS 41

Thaís da Silva Rodrigues, Deyvison de Lima Oliveira, José Arilson de Souza, Elder Gomes Ramos

Resumo


Com a edição do Pronunciamento CPC 29, altera-se o método de mensuração de ativos biológicos, surgindo demandas para alterações também no ensino da Contabilidade Rural que é ramo da contabilidade com características específicas em assuntos relacionados à avaliação e mensuração dos ativos biológicos e produtos agrícolas. O objetivo desta pesquisa é identificar o perfil da disciplina Contabilidade Rural nas universidades federais brasileiras entre 2015 e 2016. Para isso, empregou-se abordagem descritiva com aspecto qualitativo do tipo documental. Foram realizadas análises dos planos de ensino e dos projetos pedagógicos do curso de Ciências Contábeis de 30 universidades federais dentro do universo de 40 instituições de ensino superior. Os resultados revelaram consideráveis variações no método de ensino, nomenclaturas da disciplina, conteúdos e referências. Para a denominação das disciplinas constataram-se, inicialmente, 13 nomenclaturas diferentes. Os conteúdos ‘Ativo Biológico’, ‘CPC 29’ e ‘Método de mensuração a valor justo’ foram abordados em apenas 25% das universidades; assuntos ligados à ‘atividade rural’, ‘planos de contas’ e ‘relatórios contábeis’ são mais presentes nas ementas. Quanto às referências mais sugeridas, destaca-se as obras do autor Jose Carlos Marion, diferente da normativa CPC 29 que esteve presente em apenas quatro planos de ensino ou projeto pedagógico. E tratando-se da metodologia, as instituições utilizam o método tradicional de ensino. A análise traz indícios de que conceitos e aplicações essenciais do CPC 29, especialmente, quanto à mensuração e evidenciação de ativos biológicos e produtos agrícolas, estão fora dos planos de ensino e ementas dos cursos de Contabilidade.


Palavras-chave


Contabilidade Rural; Ensino Superior; Universidades Federais.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, M. J. Fundamento de Agronegócios. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2005.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Boletim Regional do Banco Central do Brasil, v. 10, n. 3. Disponível em: . Acesso em: 11 set. 2016.

BARRETO, A. A. R.; et al. Piscicultura Integrada à Agroindústria: uma Proposta de Fluxo Contábil de Acordo com os CPCS 29 e 16. RACE: Revista de Administração, Contabilidade e Economia, v. 15, n. 3, p. 915-944, 2016. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2016.

BARROS, C. C.; et al. O impacto do valor justo na mensuração dos ativos biológicos nas empresas listadas na BM&FBOVESPA. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, v. 17, n. 3, p. 41-59, 2012. Disponível em: . Acesso em: 9 set. 2016.

BRASIL, Presidência da República. Ministério da Educação. Resolução CNE/CSE n. º 10, de 16 de dezembro de 2004. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2016.

CARNEIRO, J.; CARNEIRO, E. Tratado de Contabilidade V. 3. Contabilidade rural. 2 ed. BRASIL, 1933.

CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM ECONOMIA APLICADA. PIB do Agronegócio - Dados de 1995 a 2015. 2016. Disponível em: . Acesso em: 11 de set. 2016.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. CPC 29 Ativo Biológico e Produto Agrícola. Comitê de Pronunciamentos Contábeis. 2009. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 2016.

______. (2012). CPC 46 Mensuração do Valor Justo. Comitê de Pronunciamentos Contábeis. 2012. Disponível em: < http://www.cpc.org.br/index.php >. Acesso em 24 abr. 2016.

FARIA, P. M. O.; LEAL, E. A. Análise da temática Contabilidade Gerencial na formação em Ciências Contábeis de IES mineiras à luz do Currículo Mundial e da Proposta Nacional do CFC/FBC. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, v. 10, n. 2, p. 163-180, 2016. Disponível em: . Acesso em 18 ago. 2016.

FBC. Proposta nacional de conteúdo para o curso de graduação em Ciências Contábeis. 2 ed. Brasília: Fundação Brasileira de Contabilidade, 2009. Disponível em: . Acesso em 22 ago. 2016.

FIGUEIRA, L. M.; RIBEIRO, M. S. Análise da evidenciação sobre a mensuração de ativos biológicos: antes e depois do CPC 29. Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 12, n. 26, p. 73-98, 2015. Disponível em: . Acesso em 21 abr. 2016.

GANASSIN, E.J.F., RODRIGUES, F.F., BORGES, T.J.G. Mensuração de Ativos Biológicos e a observância do IAS 41 na América do Sul. Revista Custos e @gronegócio on line, 9(2), 2016. Disponível em: . Acesso em 21 out. 2016.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MARION, J. C. Contabilidade Rural: Contabilidade Agrícola, Contabilidade da

Pecuária, Imposto de Renda - Pessoa Jurídica. 14 ed. São Paulo: Atlas, 2014.

MARTINS, A. S.; OLIVEIRA, D. L. Reconhecimento contábil da degeneração de ativos biológicos para a produção no cultivo de árvores frutíferas. Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 11, n. 22, p. 73-94, 2014. Disponível em: . Acesso em 15 jun. 2016.

MARTINS, E., GELBCKE, E. R., SANTOS, A & IUDÍCIBUS. S. Manual de Contabilidade Societária: aplicável a todas as sociedades. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2013.

MARTINS, V. G.; MACHADO, M. A. V.; CALLADO, A. L. C. Relevância e representação fidedigna na mensuração de ativos biológicos a valor justo por empresas listadas na BM&FBovespa. Revista Contemporânea de Contabilidade, UFSC, Florianópolis, v.11, n.22, p. 163-188, 2014. Disponível em: . Acesso em 13 abr. 2016.

Ministério da Educação e Cultura. Instituições de Educação Superior e cursos cadastrados. Recuperado em 28 julho, 2016. Disponível em: . Acesso em 11 abr. 2016.

OLIVEIRA, D. L.; OLIVEIRA, G. D. Contabilidade rural: uma abordagem do agronegócio dentro da porteira. 3 ed. Curitiba: Juruá, 2017.

OLIVEIRA, N. G.; CRUZ, N. G.; PINHEIRO, L. E. T. Mensuração de ativos biológicos a valor justo: Um estudo realizado em empresas brasileiras listadas na BM&FBOVESPA. XXI Congresso Brasileiro de Custos, Natal, RN, Brasil, 2014. Disponível em: . Acesso em 16 ago. 2016.

SILVA FILHO, A. C. d. C.; MACHADO, M. A. V.; MACHADO, M. R. Custo histórico X valor justo: qual informação é mais value relevant na mensuração dos ativos biológicos? Revista Custos e @gronegócio on line, v. 9, n. 2, 2013. Disponível em: . Acesso em 13 jun. 2016.

SILVA FILHO, A. C. d. C.; MARTINS, V. G.; MACHADO, A. V. M. Adoção do valor justo para os ativos biológicos: análise de sua relevância em empresas brasileiras. Revista Universo Contábil, v. 9, n. 4, p. 110-127, 2013. Disponível em: . Acesso em 13 jun. 2016.

SOMBRA, A. M. M.; et al. Perfil da Disciplina de Contabilidade de Custos nas Universidades Brasileiras: uma Análise nos Cursos de Graduação em Ciências Contábeis. Revista Gestão Organizacional, v. 9, n. 1, p. 66-83, 2016. Disponível em: . Acesso em 18 ago. 2016.




DOI: https://doi.org/10.21446/scg_ufrj.v0i0.26262

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Thaís da Silva Rodrigues, Deyvison de Lima Oliveira, José Arilson de Souza, Elder Gomes Ramos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores: 

Directory of Open Access Journals Scholar  EBSCO   

 
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vínculo Institucional:

Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis 
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) 
Av. Pasteur, 250 - Urca - Rio de Janeiro - 22.290-240 
Tel./Fax: (21) 3938-5119

Ficha Catalográfica:

Sociedade, Contabilidade e Gestão [recurso eletrônico]/ Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio de Janeiro. -- v. 1, n. 1, 2° semestre de 2006 -- Rio de Janeiro: UFRJ, 2006-.v. 
Quadrimestral 
Semestral 2006-2012
ISSN 1982-7342

1. Contabilidade e Gestão. I. Universidade Federal do Rio de Janeiro -- Faculdade de Administração e Ciências Contábeis.