As Escolhas de Trabalhadores na Maturidade no Contexto de um Programa de Demissão Voluntária

Lucia B. Oliveira, Carla Mendes Oliveira

Resumo


O envelhecimento da população brasileira vem ampliando o debate em torno da permanência e saída de trabalhadores na maturidade do mercado de trabalho. Evidências também apontam que empresas têm promovido o desligamento desses empregados, incluindo aqueles que prefeririam continuar trabalhando. Nesse sentido, a presente pesquisa teve por objetivo analisar os fatores que contribuíram para a decisão de aderir ou não ao programa de demissão voluntária (PDV) de uma grande empresa brasileira, voltado especificamente para empregados com mais de 55 anos e já aposentados pelo INSS. Participaram deste estudo qualitativo oito ex-empregados que aderiram ao PDV e oito empregados elegíveis ao programa que optaram por continuar na empresa. Os resultados mostraram que a decisão depende de diversos fatores, incluindo saúde, situação financeira, questões familiares e o significado atribuído ao trabalho. Também foram identificadas perdas e ganhos associados à aposentadoria. Por fim, a partir das categorias centralidade do trabalho, dificuldade na tomada de decisão frente ao PDV e satisfação com a decisão, foram identificados seis grupos ou tipos ideais. Este trabalho contribui para preencher uma lacuna relativa à escassez de estudos nacionais sobre programas de desligamento voluntário. Além disso, espera-se que os resultados do estudo contribuam para a elaboração de políticas e práticas, por parte das organizações, que facilitem essa importante decisão.


Palavras-chave


Programa de Demissão Voluntária; Aposentadoria; Trabalhador na Maturidade; Significado do Trabalho.

Texto completo:

PDF_DRAFT

Referências


ADAMS, G. A; BEEHR, T. A. (Ed.). Retirement: reasons, process, and results. New York: Springer Publishing Company, 2003.

ALBORNOZ, S. O que é trabalho. São Paulo: Brasiliense, 2004.

AVERHART, V. Ageism in the workplace: examining the influence of age conceptualization on the advancement opportunities of older workers. FIU Electronic Theses and Dissertations, paper 585, 2012.

BASTOS, A. V. B.; PINHO, A. P. M.; COSTA, C. A. Significado do trabalho: um estudo entre trabalhadores inseridos em organizações formais. RAE – Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 6, p. 20-29, 1995.

BIANCHI, E. M. P. G. Meaning of work for managers in the Brazilian contemporary business context. RAM – Revista de Administração Mackenzie, v. 19, n. 5, p. 1–29, 2018.

BITENCOURT, B. M. et al. Para além do tempo de emprego: o sentido do trabalho no processo de aposentadoria. Revista de Ciências da Administração, v. 13, n. 31, p. 30–57, 2011.

BORGES, G. M.; CAMPOS, M. B.; CASTRO E SILVA, L. G. Transição da estrutura etária no Brasil: oportunidades e desafios para a sociedade nas próximas décadas. In: ERVATTI, L. R.; BORGES, G. M.; JARDIM, A. P. (Orgs.). Mudança demográfica no Brasil no início do Século XXI. Rio de Janeiro: IBGE, 2015.

CAMARANO, A. A. Introdução. In: Camarano, A. A. (Org.). Novo regime demográfico: uma nova relação entre população e desenvolvimento? Rio de Janeiro: IPEA, 2014.

CODO, W. Por uma psicologia do trabalho: ensaios recolhidos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006.

DEBETIR, E.; MONTEIRO, L. A. S. Qualidade de vida e preparação para a aposentadoria na Universidade Federal de Santa Catarina. In: Encontro Nacional da ANPAD, 1999. Foz do Iguaçu. Anais... Rio de Janeiro: Anpad, 1999.

DEBERT, G. G. A reinvenção da velhice: socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: EDUSP, 1999.

DUARTE, C. V.; SILVA, L. L. M. Expectativas diante da aposentadoria: um estudo de acompanhamento em momento de transição. Revista Brasileira de Orientação Profissional, v. 10, n. 1, 2009.

ERNESTO, R.; BELTRÃO, V.; LOUREIRO, M. R. Reforma da burocracia pública e federalismo no Brasil: a experiência do programa de demissão voluntária nos governos estaduais. RAP – Revista de Administração Pública, v. 32, n. 6, 113–144, 1998.

FIGUEIRA, D. A. M. et al. A tomada de decisão da aposentadoria influenciada pelas relações familiares e laborais. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 20, n. 2, p. 207–215, 2017.

FLICK, U. Introdução à Pesquisa Qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FRANÇA, L. H. A longevidade e suas consequências para o mundo do trabalho. Sinais Sociais, Rio de Janeiro, v.4, n. 10, p. 98-121, 2009.

FRANÇA, L. H. O desafio da aposentadoria: o exemplo dos executivos do Brasil e da Nova Zelândia. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.

FRANÇA, L. H. et al. Aposentar-se ou continuar trabalhando? O que influencia essa decisão? Psicologia, Ciência e Profissão, v. 33, n. 3, p. 548-563, 2013.

FRANÇA, L. H.; MENEZES, G. S. Motivadores da decisão da aposentadoria por servidores públicos federais. Psicologia: Organizações e Trabalho, v. 12, n. 3, 2012.

FRANÇA, L. H.; SOARES, D. H. P. Preparação para a aposentadoria como parte da educação ao longo da vida. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 29, n. 4, p. 738-751, 2009.

FRANÇA, L. H.; STEPANSKY, D. V. Educação permanente para trabalhadores idosos: o retorno à rede social. Boletim Técnico SENAC, v. 31, n. 2, p.46-55, maio/ago. 2005.

GIELEN, A. C. Working hours flexibility and older workers labor supply. IZA Discussion Paper Series, n. 2946, 2007.

GUEDES, V. A.; CALADO, S. M. R.; VIEIRA, M. M. F. Programa de desligamento voluntário: um estudo sobre os fatores determinantes da adesão entre ex-funcionários de instituição financeira governamental. In: Encontro Nacional da ANPAD, 1998. Anais... Rio de Janeiro: Anpad, 1998.

HANKS, R. S. The impact of early retirement incentives on retirees and their families. Journal of Family Issues, v. 11, n. 4, p. 424–437, 1990.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Brasil: Projeção da população por sexo e idade – 2010/2060. Rio de Janeiro: IBGE, 2018. Disponível em: . Acesso em 12/11/2019.

KERRY, M. J. Psychological antecedents of retirement planning: A systematic review. Frontiers in Psychology, v. 9, p. 1-17, 2018.

KIM, S.; FELDMAN, D. Working in retirement: The antecedents of bridge employment and its consequences for quality of life in retirement. Academy of Management Journal, v. 43, n. 6, p. 1195-1210, 2000.

MORIN, E. M. Os sentidos do trabalho. RAE – Revista de Administração de Empresas, v. 41, nº 3, p. 8-19. 2001.

MOW (THE MEANING OF WORKING INTERNATIONAL RESEARCH TEAM). The meaning of working. London: Academic Press, 1987.

NEVES, D. R. et al. Sentido e significado do trabalho: uma análise dos artigos publicados em periódicos associados à Scientific Periodicals Electronic Library. Cadernos EBAPE.BR, v. 16, n. 2, p. 318–330, 2018.

OLIVEIRA-SILVA, L.; VIEIRA, J. A.; RIBEIRO, A. C. B. Para além do fim do arco-íris: motivações e consequências da adesão ao plano de demissão voluntária. ReCaPe – Revista Carreiras & Pessoas, v. 5, n. 2, p. 270–281, 2015.

POST, C.; SCHNEER, J. A.; REITMAN, F. Pathways to retirement: A career stage analysis of retirement age expectations. Human Relations, v. 66, n. 1, p. 87-112, 2013.

ROSSO, B. D.; DEKAS, K. H.; WRZESNIEWSKI, A. On the meaning of work: A theoretical integration and review. Research in Organizational Behavior, v. 30, p. 91–127, 2010.

SHULTZ, K. S.; MORTON, K. R.; WECKERLE, J. R. The influence of push and pull factors on voluntary and involuntary early retirees’ retirement decision and adjustment. Journal of Vocational Behavior, v. 53, p. 45-57, 1998.

SILVA, A. C. C.; HELAL, D. H. Compreendendo a aposentadoria: Um estudo de caso em uma instituição pública do Estado de Pernambuco. REGE – Revista de Gestão, v. 24, n. 4, p. 316–324, 2017.

SPINELLI-DE-SÁ, J. G.; LEMOS, A. H. C. Sentido do trabalho: uma análise da produção científica brasileira. In: Encontro Nacional da ANPAD. Anais... Belo Horizonte: ANPAD, 2015.

SULLIVAN, S. E.; ARISS, A. A. Employment after retirement: A review and framework for future research. Journal of Management, v. 45, n. 1, p. 262–284, 2019.

TOPA, G. et al. Antecedents and consequences of retirement planning and decision-making: A meta-analysis and model. Journal of Vocational Behavior, v. 75, n. 1, p. 38–55, 2009.

VANSTEENKISTE, S.; DESCHACHT, N.; SELS, L. Why are unemployed aged fifty and over less likely to find a job? A decomposition analysis. Journal of Vocational Behavior, v. 90, p. 55–65, 2015.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Aging and Working Capacity. Geneva: World Health Organization, 1993.

WRZESNIEWSKI, A. et al. Jobs, Careers, and Callings: People’s Relations to Their Work. Journal of Research in Personality, v. 31, n. 1, p. 21–33, mar. 1997.

ZANELLI, J. C. Processos psicossociais, bem-estar e estresse na aposentadoria. Revista Psicologia, v. 12, n. 3, p. 329-340, 2012.




DOI: https://doi.org/10.21446/scg_ufrj.v0i0.30885

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Lucia B. Oliveira, Carla Mendes Oliveira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores: 

Directory of Open Access Journals SPELL Scholar EBSCO

 
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vínculo Institucional:

Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis 
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) 
Av. Pasteur, 250 - Urca - Rio de Janeiro - 22.290-240 
Tel./Fax: (21) 3938-5119

Ficha Catalográfica:

Sociedade, Contabilidade e Gestão [recurso eletrônico]/ Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio de Janeiro. -- v. 1, n. 1, 2° semestre de 2006 -- Rio de Janeiro: UFRJ, 2006-.v. 
Quadrimestral 
Semestral 2006-2012
ISSN 1982-7342

1. Contabilidade e Gestão. I. Universidade Federal do Rio de Janeiro -- Faculdade de Administração e Ciências Contábeis.