Joseph Biden e a América Latina: continuidades e mudanças na agenda de trabalho

Carlos Domínguez Avila, Aldira Guimarães Duarte

Resumo


O artigo examina o devir das relações entre os Estados Unidos e o conjunto dos países da América Latina e Caribe, principalmente no contexto da posse da nova administração encabeçada pelo presidente Joseph Biden. Trata-se de um ensaio de interpretação que pondera e reflexiona sobre quatro grandes áreas temáticas: democracia e direitos humanos, segurança coletiva, relações econômicas internacionais, e assuntos sociais e culturais. O argumento central do manuscrito sugere que o novo governo estadunidense e seus homólogos latino-americanos, mesmo num contexto de graves dificuldades colocadas pela pandemia da Covid-19, têm uma excelente oportunidade para construir confiança recíproca e para elevar o patamar das relações hemisféricas.


Palavras-chave


Relações Hemisféricas; Estados Unidos; América Latina; Brasil; Política Internacional

Texto completo:

PDF Remoto

Referências


ABDENUR, A. et al, 2020. Environmental Crime in the Amazon basin. Rio de Janeiro: Instituto Igarapé.

AYERBE, L. 2002. Estados Unidos e América Latina. São Paulo: Unesp.

BIDEN, J. 2020. “Why America Must Lead Again: Rescuing U.S. Foreign Policy After Trump”. Foreign Affairs, v. 99, n. 2, March/April, pp. 64-76.

CEPAL. 2019. United States-Latin America and the Caribbean Trade Developments 2019. Washington: Nações Unidas.

DAHL, R. 2016. Sobre a democracia. Brasília: Edunb.

DAVID, C. 2001. A guerra e a paz, Abordagens contemporâneas da segurança e da estratégia. Lisboa: Piaget.

ESTENSSORO, F. 2021. “Los dolores de cabeza que Trump le hereda a Biden: la total derrota”. El Quinto Poder, Santiago de Chile, 23.2.2021, pp. 1-8.

FOA, R; MOUNK, Y. 2016. The Danger of Deconsolidation. Journal of Democracy, v. 27, n. 3, pp. 5-17.

GILPIN, R. 2002. A Economia Política das Relações Internacionais. Brasília: Edunb.

HUNTINGTON, S. 1997. O choque de civilizações e a recomposição da ordem mundial. Rio de Janeiro: Objetiva.

LATINOBARÓMETRO. 2018. Informe Latinobarómetro 2018. Buenos Aires: Corporación Latinobarómetro.

LEVITSKY, S; ZIBLATT, D. 2018. Como as Democracias Morrem. Rio de Janeiro: Zahar.

LEVITSKY, S; WAY, L. 2010. Competitive Authoritarianism: Hybrid Regimes After the Cold War. Cambridge: Cambridge University Press.

LÜHRMANN, A.; LINDBERG, S. 2019. “A third wave of autocratization is here: what is new about it?” Democratization, v. 26, n. 7, pp. 1095-1113.

MALAMUD, C.; NÚNEZ, R. 2020. “Biden y América Latina: cambios y continuidades. ARI 130/2020”. Madrid: Real Instituto Elcano. 18.11.2020, pp. 1-10.

MARQUES, L. 2016. Capitalismo e colapso ambiental. Campinas: Editora da Unicamp.

MONIZ BANDEIRA, L. 2005. Formação do Império Americano. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

SCHOULTZ, L. 2000. Estados Unidos: poder e submissão. Bauru: Edusc.

TICKNER, A. 2000. Sistema Interamericano y Democracia. Bogotá: Uniandes.

TULCHIN, J; GOLDING, H. 2002. Environment and Security in the Amazon basin. Washington: WWICS.

V-DEM INSTITUTE. 2019. Democracy Facing Global Challenges/ V-Dem Annual Democracy Report 2019. Gotemburgo: University of Gothemburg.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.