A definição de tragédia como imitação de uma ação

Fernando Gazoni

Resumo


O artigo analisa certas dificuldades conceituais ligadas à definição de tragédia, na Poética de Aristóteles, como imitação de uma ação. O que explica a distância entre o capítulo 2 do tratado, no qual Aristóteles se refere aos objetos de imitação como homens que agem, e a definição de tragédia, na qual o objeto de imitação é a própria ação? O artigo analisa e rejeita duas soluções possíveis e sugere que a protagonização da ação justifica-se se não perdermos de vista o caráter ético da ação trágica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Fernando Gazoni

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.