O pós-futuro do pós-brasil / notas a “o pós-futuro do pós-brasil”

Túlio Ceci Villaça, Luiz Henrique A. Garcia

Resumo


Resumo: Ensaio crítico que versa sobre o disco Todo mundo é bom (2016),
do Coletivo Chama, grupo de músicos fundado e radicado no Rio de Janeiro.
A análise, acompanhada de notas críticas que a complementam e subsidiam, 

discute suas linhas conceituais mestras e esmiúça as canções do disco, procurando
situá-lo diacronicamente na história da música popular brasileira e
sincronicamente ante o atual cenário cultural e político do país.
Palavras-chave: Coletivo Chama, Todo Mundo é Bom, MPB, Crítica musical
Abstract: Critical essay on the album Todo mundo é bom (2016), by Coletivo
Chama, a group of musicians founded and based in Rio de Janeiro. The analysis,
accompanied by critical notes that complement and subsidize it, discusses
the main conceptual lines and details the songs from the album, seeking to
situate it diachronically in the history of Brazilian popular music and synchronically
in the country's current cultural and political scene.
Keywords: Coletivo Chama, Todo Mundo é Bom, MPB, Music criticism


Palavras-chave


Coletivo Chama, Todo Mundo é Bom, MPB, Crítica musical

Texto completo:

PDF HTML

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Túlio Ceci Villaça, Luiz Henrique A. Garcia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.