Darl Bundren: fulgurações do poético em Enquanto agonizo, de William Faulkner

Autores

  • Claudimar Pereira da Silva Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP, campus de Araraquara.
  • Paulo César Andrade da Silva Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP, campus de Araraquara.

Palavras-chave:

William Faulkner, narrador, narrativa poética.

Resumo

RESUMO: O presente artigo objetiva a análise dos monólogos interiores de Darl Bundren, um dos narradores do romance Enquanto agonizo (2010), do escritor norte-americano William Faulkner, no que tange ao conceito de narrativa poética. Partindo dos pressupostos teóricos de Jean-Yves Tadié (1978), Massaud Moisés (1967) e Ralph Freedman (1971), pretende-se analisar o modo como se configura o enunciado narrativo de Darl, no que se refere à ressonância poética da linguagem e à construção de uma isotopia imagética que reflete a subjetividade lírica do narrador.

Biografia do Autor

Claudimar Pereira da Silva, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP, campus de Araraquara.

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários da UNESP, campus de Araraquara, SP, Brasil.

Paulo César Andrade da Silva, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP, campus de Araraquara.

Professor do Departamento de Literatura e do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), campus de Araraquara.

Downloads

Publicado

2020-04-30