Ficções do humor e a idéia de ironia em Bernardo Guimarães

Irineu Eduardo J. Corrêa

Resumo


Bernardo Guimarães seria um legítimo e muito bem qualificado romântico.
Entretanto, ele acaba situado como um poeta secundário, no cânone. Este ensaio explora
esta contradição. Para isto, destaca algumas ocorrências das categorias de ironia e de
humor nos versos do poeta, e sugere que o uso que faz delas é radical, produzindo uma
crítica que ultrapassa aos padrões estabelecidos para o movimento. Assim, ele acaba
por se colocar fora da norma medíocre e, portanto, fora do lugar onde os eleitos são
posicionados.

Palavras-chave


ironia, humor, cânone.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Irineu Eduardo J. Corrêa

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.