A MORTE E O INFINITO: ENTRE MICHEL DEGUY E CHARLES BAUDELAIRE

Marcelo Jacques de Moraes

Resumo


A noção de infinito em Charles
Baudelaire, tal como lida por Michel
Deguy, remete à vocação de uma expe-
riência para alterar-se e, ao mesmo tem-
po, intensificar-se pela via de sua apre-
sentação estética. A partir daí, pretendo
discutir, num diálogo permanente entre
os dois poetas, a figuração poética, por
meio da alegoria da morte, da infinita
espessura do presente.

Palavras-chave


Baudelaire, Deguy, poesia francesa

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Marcelo Jacques de Moraes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.