NIETZSCHE E WAGNER: caminhos e descaminhos na concepção do trágico

Jair Antunes

Resumo


Este texto divide-se em duas partes principais. Na primeira, mostra-se como Wagner concebe inicialmente a arte trágica grega em sua acepção puramente estética – a arte como afirmação do caráter trágico da vida– e como, em seguida, ele mesmo rompe com esta concepção e assume uma acepção idealista-pessimista schopenhauriana da arte. Na segunda parte, pretende-se mostrar qual concepção de trágico o jovem Nietzsche recebe e aceita de Wagner e como isso determina o posterior rompimento radical de ambos e a nova filosofia nietzschiana.

Palavras-chave


Wagner; Trágico; Arte.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Jair Antunes