NIETZSCHE SEGUNDO DELEUZE: A FILOSOFIA E O RECURSO À TERMINOLOGIA DAS FORÇAS

Claudio Vinícius Felix Medeiros

Resumo


Este artigo pretende situar o uso da terminologia das forças na leitura deleuziana da genealogia de Nietzsche e, logo em seguida, reportar este fato à centralidade que a ação das forças assume no pensamento de Isaac Newton. De Fato, o grande movimento da Mecânica Clássica talvez tenha sido conduzido, fundamentalmente, pela refutação da cosmologia cartesiana e pela introdução do conceito de força. Não coincidentemente este conceito repercute, dentro de certas proporções semânticas, na atitude filosófica de Nietzsche de recusa do cogito cartesiano. É como se Nietzsche estivesse aí substituindo uma metafísica do sujeito por uma “física do pensamento”, onde os elementos primordiais do pensamento deixam de ser a verdade e o erro e passam a ser a sucessão das forças que se apoderam do pensamento. Assim, partindo do aforismo 13 de Genealogia da Moral pode-se muito bem refletir sobre uma correlação entre os caminhos abertos pelos dois autores.

Palavras-chave


Filosofia Contemporânea, Filosofia Moderna, História das Ciências

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Claudio Vinícius Felix Medeiros