O RISO AFIRMADOR DO ETERNO RETORNO

Rafael Rocha da Rosa

Resumo


Neste  artigo  propomos  a  questão  do  riso  em  Nietzsche  como  expressão  do eterno  retorno,  a  celebração  máxima  da  vida,  como  crítica  ao  pensamento  conceitual  e ao  cristianismo.  Para  isso,  utilizaremos  as  obras  em  que  o  tema  do  riso  aparece  com mais  consistência: A  Gaia  ciência  e Assim  falou  Zaratustra.  Em  ambos,  a  criação  e  a afirmação  da  existência  aparecem  como  uma  postura  necessária  ao  homem  para  viver em  um  mundo  onde  Deus  está  morto.  Considerando  a  contradoutrina  de  Zaratustra,  o riso seria expressão dessa nova ética.


Palavras-chave


riso, eterno retorno, vida, criação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Rafael Rocha da Rosa