AS POTÊNCIAS DO SIMULACRO: DELEUZE COM NIETZSCHE

Leandro Lelis

Resumo


Este artigo pretende apresentar a crítica feita por Deleuze ao platonismo, por meio da noção de simulacro, a fim de explorar as implicações desta crítica, validada pela apropriação de Nietzsche feita por Deleuze, nos domínios da ontologia e da estética. Para tanto, o texto pretende cumprir quatro objetivos: 1) abordar o tema da reversão do platonismo, segundo a letra deleuziana; 2) expor a leitura feita por Deleuze das noções nietzschianas de vontade de potência e eterno retorno; 3) problematizar a apropriação de Deleuze dessas noções no interior da reversão do platonismo; 4) levantar a discussão acerca de uma problemática estética a partir dos ganhos conceituais obtidos com a leitura de Deleuze do simulacro. Palavras-chave: Deleuze; Nietzsche; simulacro; estética

Palavras-chave


Deleuze; Nietzsche; simulacro; estética.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Leandro Lelis