Proposta Metodológica para Mapeamento de Relevos Tecnogênicos em Áreas de Desastres Ambientais

Carolina Campos Eduardo, Miguel Fernandes Felippe, Telma Mendes da Silva

Resumo


Na discussão do Antropoceno, o ser humano é considerado um dos responsáveis pelas transformações diretas e indiretas ocorridas na paisagem, atuando como agente geológico-geomorfológico. Nesse contexto, complexos minerários possuem grande capacidade de (re)construção das formas do relevo, criando e induzindo feições tecnogênicas. Este artigo aborda as principais transformações no relevo ocorridas com a deposição de aproximadamente 10 milhões de m³ de rejeitos decorrentes do rompimento da barragem I do Complexo Minerário do Córrego do Feijão, inserida na bacia do Ribeirão Ferro-Carvão, em Brumadinho (Minas Gerais, Brasil). Para tanto, realizou-se pela cartografia retrospectiva a comparação entre a morfologia antes e depois do rompimento, através de técnicas de geoprocessamento, fotointerpretação e trabalho de campo. A classificação dos terrenos tecnogênicos possibilitou a identificação dos diferentes processos morfogenéticos relacionados ao Antropoceno, porém, apresentou limitações na distinção das consequências geomorfológicas do desastre, evidenciando a necessidade de aprimoramento das categorias de análise tecnogênica para melhor compreensão de situações similares.


Palavras-chave


Antropoceno; Tecnógeno; Desastre(s) Ambientais; Geomorfologia Retrospectiva; Brumadinho

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.36403/espacoaberto.2021.38470

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Carolina Campos Eduardo, Miguel Fernandes Felippe, Telma Mendes da Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ISSN: 2237-3071