Apontamentos de antropologia filosófica afrodiaspórica das Congadas no Brasil

Vanilda Honória dos Santos

Resumo


O presente texto objetiva apresentar as reflexões iniciais do projeto que visa tecer uma antropologia filosófica das Congadas no Brasil. Trata-se de um exercício de filosofia afrodiaspórica. O intuito é buscar responder à seguinte questão: Que filosofias alimentavam as memórias e histórias presentes nos rituais e na organização dos antepassados africanos ao reinventarem a humanidade de si mesmos após desmanche de suas unidades culturais com a escravização e a diáspora africana? A hipótese delineada é da existência de um humanismo afro-referenciado, fundamentado nas matrizes epistemológicas das filosofias Ubuntu e Axé, presentes na tradição oral das Congadas.


Palavras-chave


Antropologia Filosófica; Afrodiáspora; Congadas; Ubuntu; Axé.

Texto completo:

PDF

Referências


Audiovisual

A história da Congada através dos instrumentos. TV Integração, 12 out 2019.

https://globoplay.globo.com/v/7997793/?utm_source=whatsapp&utm_medium=share-bar&fbclid=IwAR0U9EdFWmgot_umD9wONr1QIhSeA7EwmWu1gvt2fnblHpQNgE6N0yyEsPw. Acesso em 09/01/2020.

Instrumentos da Congada. BRASILEIRO, Jeremias. TV Paranaíba. Uberlândia, maio de 2017. Banco de dados em audiovisuais. Acervo Digital/Jeremias Brasileiro.

Reis de Contas, com abordagens sobre as Congadas no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Direção e Animação: Waltuir Alves. Produção; Franciele Diniz e Waltuir Alves. Cinegrafia: Raquel Tibery e Waltuir Alves. Realização: Projeto/Encantar. Uberlândia, 2007. Suporte em Mídia Digital e DVD vídeo, som, color, 53:20’ (NTSC). AcervoDigital/JeremiasBrasileiro. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=txZgkvhkqH0

Filosofia Africana. PONTES, Katiúscia Ribeiro. Africa e Diáspora: História e Cultura, 2017. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=EdYSCzpA8kg&t=336s. Acesso em: 08/01/2020.

Entrevistas

CAPITÃO BAETI. Cantorias Capitão Baeti, 2006. Acervo Digital/Jeremias Brasileiro.

CAPITÃO VALTER. In. BRASILEIRO, Jeremias. Manifestações Culturais Afro-brasileiras: o congado na sala de aula. In: Formação dos professores no Vale do Mucurí: história e cultura da África e Afro-brasileira. Goiânia: Editora Conceito, p. 121-130, 2012b.

DONA GESSY. In: BRASILEIRO, Jeremias. Ler Imagens – Contar Histórias: cronivivências de uma cidade em preto e branco. Uberlândia, Minas Gerais: Editora Subsolo, 2019.

IRÊNIO SILVA. In: BRASILEIRO, Jeremias. A Rebelião Cantante: quando a tática de enfrentamento desconstrói a disciplina institucionalizada. Revista Emblemas, v. 15, n. 1, 2018b.

Bibliografia

BRASIL. Decreto nº 847, de 11 de outubro de 1890 (Código Penal de 1890). Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-847-11-outubro-1890-503086-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 08/01/2020.

BRASILEIRO, Jeremias. Ler Imagens – Contar Histórias: cronivivências de uma cidade em preto e branco. Uberlândia, Minas Gerais: Editora Subsolo, 2019a.

_______. O poder da palavra na cultura afro-brasileira: cantorias nos rituais do Congado de Minas Gerais. 2019b. No prelo.

_______. Coexistência Cultural e Religiosa: um diálogo entre as congadas e o catolicismo popular. Revista Relicário do Museu de Arte Sacra da Diocese de Uberlândia, v. 5, n, 10, p. 35-51, jul/dez (2018a).

_______. A Rebelião Cantante: quando a tática de enfrentamento desconstrói a disciplina institucionalizada. Revista Emblemas, v. 15, n. 1, 2018b.

_______. Negro Forro Liberto Vigiado. Uberlândia: Editora Subsolo, 2018c.

_______. Manifestações Culturais Afro-brasileiras: o congado na sala de aula. In: Formação dos professores no Vale do Mucurí: história e cultura da África e Afro-brasileira. Goiânia: Editora Conceito, p. 121-130, 2012b.

_______. O ressoar dos tambores do congado – entre a tradição e a contemporaneidade: cotidiano, memórias, disputas (1955-2011). Dissertação (Mestrado em História). Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2012a, 193f.

_______. Congado: um fluxo contínuo de revitalização cultural. Uberlândia: Editora Aline, 2009.

_______. Palestra sobre Patrimônio Cultural Imaterial: Bastões. Oficina Cultural de Uberlândia, maio de 2008. Acervo Digital Jeremias Brasileiro.

_______. Congadas de Minas Gerais. Brasília: Fundação Cultural Palmares, 2001.

_______. Névoa Amarela e os Orisás. Uberlândia: Prefeitura Municipal, Biblioteca Pública Municipal, 1996.

CARNEIRO, Sueli Aparecida. A construção do Outro como Não-Ser como fundamento do Ser. Tese (Doutorado em Educação), Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005. 339p.

CASTIANO, José P. Referenciais da Filosofia Africana: em busca da intersubjetivação. Moçambique: Sociedade Editorial Nadjira ltda, 2010.

LUCAS, Glaura. Os sons do Rosário: o congado mineiro dos Arturos e Jatobá. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

HAMPATÉ BÂ, A. A tradição viva. In: História Geral da África I: Metodologia e pré-história da África. Editado por Joseph Ki Zerbo, 2. Ed. Ver. – Brasília: UNESCO, 2010, p. 167-212.

HEGEL, Georg W. Filosofia da História. Tradução de Maria Rodrigues, Han Harden. Brasília: UnB, 1999.

MACHADO, Adilbênia. Filosofia Africana. In: Filosofia (as) sobre múltiplos olhares: Filosofia (as) para tempos presentes. Jeferson Luís de Azevedo, Joel Decothé Jr., William Costa. Criciúma, SC: UNESC, 2019, p. 99-115.

NGOENHA, Severino. Concepções Africanas do Ser Humano. In: Pensamento Engajado: ensaios sobre filosofia africana, educação e cultura política. Maputo: Editora EDUCAR, Universidade Pedagógica, 2011, p. 183-196.

NOGUERA, Renato. O ensino de filosofia e a Lei 10.639. Rio de Janeiro: Pallas: Biblioteca Nacional, 2014.

_______. Denigrindo a filosofia: o pensamento como coreografia de conceitos afroperspectivistas. Griot Revista de Filosofia, Amargosa, Bahia, v. 4, n. 2, p. 1-19, dezembro/2011.

_______. Ubuntu como modo de existir: Elementos gerais para uma ética aforperspectivista. Revista da ABPN, v. 3, n. 6, p. 147-150, Nov/2011 fev/2012.

OLIVEIRA, Eduardo de. Epistemologia da Ancestralidade. Disponível em: https://filosofia-africana.weebly.com/uploads/1/3/2/1/13213792/eduardo_oliveira_-_epistemologia_da_ancestralidade.pdf. Acesso em: 08/01/2020.

OLIVEIRA, Lorena Silva. A Filosofia Africana como projeto de futuro. In: Filosofia(s) sobre múltiplos olhares [recurso eletrônico]: filosofia(s) para tempos presentes. Jeferson Luís de Azeredo, Joel Decothé Jr., William Costa (Organizadores). Criciúma, SC: UNESC, 2019, p. 116-134.

OMOREGBE, Joseph. African Philosophy: yesterday and today. In: EZE, Emmanuel Chukwudi (Organizador). African Philosophy: an antohology. Oxford: Oxford: Blackwell, 1998.

PONTES, Katiúscia Ribeiro. Kemet, Escolas e Arcádeas: a importância da filosofia africana no combate ao racismo epistêmico e a lei 10.639. Dissertação (Mestrado em Filosofia). Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca – CEFET/RJ, Rio de Janeiro, 2017, 93f.

QUEIROZ, Ivo Pereira de. Genocídio do povo negro e bioética: uma questão antropológica. Problemata Rev. Intern. Fil. V. 10, n. 2, p. 195-211, 2019.

_______. Educar para o Axé: elementos para um modo de ser africano. In: Tecnologia e sociedade: (im)possibilidades. Gilson Leandro Queluy [et al]. Curitiba: Torre de Papel, 2003, p. 121-137.

RAMOSE, Mogobe. African Philosophy through Ubuntu. Harare: Mond Books, 1999a.

_______. A filosofia Ubuntu e Ubuntu como uma filosofia. African Philosophy through Ubuntu. Tradução para uso didático por Arnaldo Vasconcelos. Harare: Mond Books, 1999b, p. 49-66..

SANTOS, Juana Elbein dos. Os Nagôs e a morte: Pàde, Àsèsè e o Culto Egun na Bahia. Petrópolis: Editora Vozes, 1998.

SANTOS, Vanilda Honória dos. Uberlândia no roteiro da reparação histórica da escravidão: a Praça do Rosário como Lugar de Memória. V Seminário Internacional do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. “XX anos do Curso de Ciências Sociais UFU”, realizado na Universidade Federal de Uberlândia – Minas Gerais, de 21 a 24 de novembro de 2017.

SOUZA, Marina de Melo. Reis Negros no Brasil escravista: História da festa da coroação de Rei Congo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002, p. 65.

VAZ, Henrique Cláudio de Lima. Antropologia Filosófica I. 3ª ed. corrigida. São Paulo: Loyola, 1991.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Revista Ítaca - Periódico acadêmico administrado e editado por discentes de pós-graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro

ISSN (1519-9002 | 1679-6799) 

 

Última atualização: Agosto/2019

Last update: Agust/2019