Ricardo Reis: a apatheia pela renúncia

Diogo Ballestero Fernandes de Oliveira

Resumo


O presente artigo almeja um modesto diálogo entre Literatura e Filosofia. Dizemos modesto, pois o corpus abarcado será pequeno: três odes de Ricardo Reis. Por meio dos três poemas pensaremos a respeito de um conceito filosófico caro ao Estoicismo, a saber, o conceito apatheia, e a sua assimilação pelo poeta Ricardo Reis. Deste modo, pensamos problematizar o conceito, pensamos problematizar o Poeta, entenda-se, sua linguagem poética.

 

Referências bibliográficas

MARCO AURÉLIO. Meditações. São Paulo: Iluminiras, 1995.

MORA, José Ferrater. Dicionário de filosofia, v. 1. (A -- D). São Paulo: Edições Loyola, 2000.

REALE, G. e ANTISERI, D. História da Filosofia, v.1. Tradução de Ivo Storniolo. São Paulo: Paulus, 2007.

REIS, Ricardo. Poesia. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.


Palavras-chave


APATHEIA; RICARDO REIS; RENÚNCIA.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Revista Ítaca - Periódico acadêmico administrado e editado por discentes de pós-graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro

ISSN (1519-9002 | 1679-6799) 

 

Última atualização: Agosto/2019

Last update: Agust/2019