A distinção entre Teísmo supersticioso e Teísmo genuíno, na obra História natural da religião, de David Hume

Cleber Farias

Resumo


Resumo: Na obra História natural da religião, investigaremos a distinção feita por David Hume entre teísmo supersticioso, correspondente às crenças politeístas e monoteístas na ação intervencionista dos poderes divinos em meio à criação, e teísmo genuíno, que corresponde na crença de um ser inteligente que ordena toda a natureza no momento da criação. A partir dessa distinção, seguindo a narrativa histórica, buscaremos compreender a posição adotada pelo autor: teísmo, ateísmo ou deísmo?

Palavras-chaves: TEÍSMO; ATEÍSMO; DEÍSMO; CRENÇA.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Revista Ítaca - Periódico acadêmico administrado e editado por discentes de pós-graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro

ISSN (1519-9002 | 1679-6799) 

 

Última atualização: Agosto/2019

Last update: Agust/2019