Variabilidade da Velocidade do Vento e Influências Oceânicas: Uma Abordagem Para Fins de Geração de Energia Elétrica no Nordeste do Brasil

Enilson Palmeira Cavalcanti, Bernardo Barbosa da Silva, Vicente de Paulo Rodrigues da Silva, José Batista Chaves Filho

Resumo


Informações sobre o potencial eólico de uma região são relevantes para o gerenciamento e monitoramento em parques eólicos para fins de geração de energia elétrica. Neste trabalho foram utilizados dados da velocidade do vento a 10 m de altura da superfície, oriundos do European Centre for Medium-Range Weather Forecasts (ECMWF) ERA-Interim, para avaliar a sua variabilidade sazonal e interanual na Região Nordeste do Brasil. Os resultados obtidos indicam que a primavera é a estação do ano com maior intensidade do vento, enquanto que o outono é a de menor intensidade. Em anos de atuação de El Niño o vento é mais intenso que o valor médio (ultrapassando 45% no outono e até 25% na primavera), enquanto que em anos de La Niña esse ficou abaixo da média nas áreas com maior potencial eólico médio (40% no outono e de até 30% na primavera). Os episódios de Gradiente/Dipolo de Temperatura da Superfície do Mar (TSM) do Oceano Atlântico positivo acarretam ventos mais intensos que o normal (até 35% na parte norte da região), contrário aos anos de eventos de Gradiente/Dipolo negativo onde os ventos ficam com intensidade abaixo da média (até 40% no outono).

Palavras-chave


Energia eólica; Vento à superfície; Temperatura do mar

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.11137/2020_1_273_285

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

SCImago Journal & Country Rank