Caracterização Tecnológica e Taxa de Exalação de Radônio de um Olivina Diabásio Porfirítico da Região de Apuiarés – CE

Francisco Diones Oliveira Silva, Antonio Leal Neto, Wollker Cunha Soares, José de Araújo Nogueira Neto, Antonio Carlos Artur, Irani Clezar Mattos, Igor Magalhães Clemente

Abstract


O gás radônio (²²²Rn), após o cigarro, tem sido considerado a maior causa de câncer pulmonar nos Estados Unidos, pois, segundo estudos, 21 mil pessoas morrem por ano devido a inalação do gás. Assim, é muito importante que as concentrações de radônio sejam conhecidas em ambientes fechados: residências, minas, galerias, dentre outros. O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados de estudos sobre as características mineralógicas e tecnológicas de um dique de diabásio, com o intuito de obter características voltadas à aplicação como rocha ornamental e para revestimentos, seguindo as normas da ABNT e avaliar a taxa de exalação de radônio, através da aplicação de métodos de detecção ativa do gás radônio. O dique está localizado no município de Apuiarés-CE, geologicamente situada na Província Borborema, NE do Brasil, a NE do Domínio Ceará Central, relacionados a fenômenos magmáticos intrusivos e efusivos meso-cenozóicos. Foram coletados dois blocos de diabásio com dimensões de 30x40x30 cm, e enviados ao laboratório, onde foram feitos os corpos-de-prova para os ensaios tecnológicos e radiométricos. O dique é petrograficamente caracterizado com Olivina Diabásio Porfirítico (ODP) correspondendo a uma rocha de cor cinza escuro com variações para preto, estrutura isotrópica e textura porfirítica, não exibindo manchamentos ou irregularidades na textura que venham a comprometer o padrão estético para uso como rocha ornamental. O ensaio de exalação de radônio teve como resultado médio 1 ± 3 Bq. m-3 e em taxa de exalação de radônio por unidade de área (E), de 0,001 Bq. m-2.h-1. Portanto, em termos de caracterização tecnologia e de taxa de exalação de radônio ²²²Rn, o O.D.P. apresenta os requisitos de uso como rocha ornamental.


Keywords


Radônio; Rocha Ornamental; Olivina Diabásio Porfirítico

Full Text:

PDF

References


Al-Jarallah, M. 2001, ‘Radon exhalation from granites used in Saudi Arabia’, Journal of Environmental Radioactivity, vol. 53, no 1, pp. 91-8, viewed 12 September 2021, .

Almeida, F.F.M.A., Carneiro, C.D.R., Machado Jr. D.L. & Dehira, L.K.R. 1988, ‘Magmatismo Pós-paleozóico no Noroeste Oriental do Brasil’, Revista Brasileira de Geociências, vol. 18, pp. 451-62.

American Society for Testing and Materials/ASTM 2005, Standard specification for granite dimension stone, Standard C 615, West Conshohocken.

American Society for Testing and Materials/ASTM 2008, Standard test method for laboratory determination of pulse velocities and ultrasonic elastic constants of rock, Standard D 2845, West Conshohocken.

Anjos, R.M., Veiga, R., Santos, A.M.A., Aguiar, J.G., Frascá, M.H.B.O., Brage, J.A.P., Uzêda, D., Mangia, L., Facure, A., Mosquera, B., Carvalho, C. & Gomes P.R.S. 2005, ‘Natural radionuclide distribution in Brazilian commercial granites’, Radiation Measurements, vol. 39, no 3, pp. 245-53, viewed 13 September 2021, .

Arthaud, M.H., Fuck, R.A., Dantas, E.L., Santos, T.J.S., Caby, R. & Armstrong, R. 2014, ‘The Neoproterozoic Ceará Group, Ceará Central domain, NE Brazil: Depositional age and provenance of detrital material. New insights from U-Pb and Sm-Nd geochronology’ Journal of South American Earth Sciences, vol. 58, pp. 223-37. viewed 13 September 2021, .

Associação Brasileira de Normas Técnicas 1992, Materiais Inorgânicos - determinação do desgaste por abrasão, NBR 12042, Rio de Janeiro.

Associação Brasileira de Normas Técnicas 2010a, Rochas para Revestimento - requisitos para granitos. NBR 15844, Rio de Janeiro.

Associação Brasileira de Normas Técnicas 2010b, Análise Petrográfica - método de ensaio, NBR 15845 (Anexo A), Rio de Janeiro.

Associação Brasileira de Normas Técnicas 2010c, Densidade aparente, porosidade aparente e absorção de água - método de ensaio, NBR 15845 (Anexo B), Rio de Janeiro.

Associação Brasileira de Normas Técnicas 2010d, Resistência à compressão uniaxial - método de ensaio, NBR 15845 (Anexo E), Rio de Janeiro.

Associação Brasileira de Normas Técnicas 2010e, Módulo de ruptura (flexão por carregamento em três pontos) - método de ensaio, NBR 15845 (Anexo F), Rio de Janeiro.

Artur, A.C.; Meyer, A.P. & Wernick, E. 2001, ‘Características tecnológicas de granitos ornamentais: a influência da mineralogia, textura e estrutura da rocha. Dados comparativos e implicações de utilização’, Simpósio Brasileiro de Rochas Ornamentais/Seminário de Rochas Ornamentais do Nordeste, Salvador, Museu Geológico da Bahia, pp. 13-9, viewed 28 October 2021, < http://mineralis.cetem.gov.br/handle/cetem/1246>.

Artur, A.C., Bonotto, D.M., Amaral, P.G.Q. & Galembeck T.M.B. 2013, ‘Metodologia para quantificação da exalação do gás radônio em rochas ornamentais’, Revista Geociências, vol. 32, pp. 166-80.

Bacchiesa, I.F. 1976, Projeto Fortaleza, relatório da etapa de campo I, Departamento Nacional de Produção Mineral/Companhia de Pesquisa de Recurso Minerais, Recife, p. 84.

Barton, T.P. & Ziemer, P.L. 1986, ‘The effects of plastic size and moisture content on the emanation of Rn from coal’, Health Physics, vol. 50, pp. 518-28.

Binns, D.C.A., Gouvea, V.A. & Paula Melo, V. de. 1995, ‘Radon concentration in Brazilian environments: preliminary data’, Encontro Nacional de Aplicações Nucleares, Rio de Janeiro, pp. 316-9.

Braga, A.P.G. 1981 ‘Geologia da região nordeste do Estado do Ceará. Projeto Fortaleza’, Departamento Nacional de Produção Mineral/Companhia de Pesquisa de Recurso Minerais, Brasília, p. 123.

Environmental Protection Agency 2003, Assessment of Risks from Radon in Homes, Washington, DC.

Medeiros, V.C., Cavalcante, R., Cunha, A.L.C., Brito, A.A., Rodrigues, J.B. & Silva, M.A. 2017, ‘O furo estratigráfico de Riacho Fechado (Currais Novos/RN) domínio Rio Piranhas-Seridó (Província Borborema, NE Brasil): procedimentos e resultados’, Estudos Geológicos, vol. 27, pp. 3-44, https://dx.doi.org/10.18190/1980-8208/estudosgeologicos.v27n3p1-40.

Moura, C.L.; Artur, A.C. & Guedes, S. 2004, ‘222Rn concentrations of the building stones from different magmatic series’, 32nd International Geology Congress, vol. 1, Florença, Itália, p. 286.

Moura, C.L. 2005. ‘Radioatividade Natural e Emanação de 222Rn em Rochas Ornamentais Provenientes de Diferentes Séries Magmáticas Utilizadas como Revestimento Interno’, Tese de Doutorado, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita/UNESP, Rio Claro.

Moura, C.L., Artur, A.C. & Bonotto, D.M. 2005, ‘Radioatividade natural em rochas ornamentais provenientes de diferentes séries magmáticas’, I Congresso Internacional De Rochas Ornamentais/II Simpósio Brasileiro De Rochas Ornamentais, Centro de Tecnologia Mineral, Guarapari, Resumos expandidos, p. 6.

Moura, C.L., Artur, A.C. & Bonotto, M.D. 2006a, ‘A importância dos aspectos petrográficos no estudo da radioatividade natural e de emanação de radônio de rochas ornamentais utilizadas em revestimento’, III Congresso Brasileiro De Rochas Ornamentais/VI Simpósio De Rochas Ornamentais Do Nordeste, Natal, Resumos expandidos, p. 21.

Moura, C.L., Artur, A.C. & Bonotto, M.D. 2006b, ‘A influência da porosidade na taxa de exalação de 222Rn de rochas utilizadas como ornamental e de revestimento’, X Simpósio de Geologia do Sudeste, Diamantina, Resumos, p. 111.

Nascimento, D.A., Gava, A., Pires, J.L. & Teixeira, W. 1981, ‘Fortaleza: geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação e uso potencial da terra. Folha AS 24’, Projeto RADAMBRASIL, Ministério das Minas e Energia, Rio de Janeiro, p. 9-212.

Navarro, F.C. 1998, ‘Granitos ornamentais: análise petrográfica na previsão do comportamento físico-mecânico’, II Congresso Uruguayo de Geologia, Actas, Punta del Este, Sociedad Uruguaya de Geología, p. 103-7.

Navarro, F.C. 2002, ‘Caracterização petrográfica como técnica para a precisão do comportamento físico e mecânico de granitos ornamentais’, Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita/UNESP, Rio Claro.

Pinéo, T.R.G., Palheta, E.S.M., Costa, F.G., Vasconcelos, A.M., Gomes, I.P., Gomes, F.E. M., Bessa, M.D.M.R., Lima, A.F.; Holanda, J.L.R. & Freire, D.P.C. 2020, Mapa geológico do estado do Ceará. Escala - 1:500.000, Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais.

Rao, A. B. & Sial, A. N. 1972, ‘Observations on alcaline plugs near Fortaleza city, Ceará state, Brazil’, 24nd International Geological Congress, Montreal, pp. 56-61.

Rodrigues, E.P.; Coutinho, J.M.V. & Chiodi Filho, C. 1996, ‘Petrografia microscópica: uma visão do passado, presente e futuro da rocha ornamental’, São Paulo, Rochas de Qualidade, no 127, pp. 80-84.

Rodrigues, E.P., Chiodi Filho, C. & Coutinho, J.J.M. 1997, ‘Importância da petrografia para a previsão do comportamento e da durabilidade de rochas ornamentais. Lisboa’, Rochas e Equipamentos, no. 47, pp. 1-2.

Silva, F.D.O. 2011, ‘Caracterização tecnológica e radiométrica de um diabásio da região de Apuiarés-CE’, Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Ceará/UFC, viewed 10 November 2020, .

United Nations Scientific Committee on the Effects of Atomic Radiation/UNSCEAR. 2000, ‘Sources and effects of ionizing radiation’, Report to general assembly, with scientific annexes, United Nations, New York, no 1, pp. 83-156.




DOI: https://doi.org/10.11137/1982-3908_2022_45_39354

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Indexers and Bibliographic DatabasesFollow us
SCImago Journal & Country Rank
ISSN
ROAD
Clarivate
Diadorim
DOAJ
DRJI
GeoRef
Google Scholar
Latindex
REDIB
Oasisbr
Twitter
Instagram
Facebook
All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International Public License (CC BY-NC 4.0).