A PSICOMOTRICIDADE VAI AO CAPITAL: NOTAS A DESPEITO DAS APROPRIAÇÕES DA PSICOMOTRICIDADE NA ESCOLA

José Montanha Soares, Marcelo Resende Teixeira, Daniel Cantanhede Behmoiras

Resumo


Este estudo teve como objetivo analisar uma dissertação de mestrado que trata da inserção da Psicomotricidade nas instituições educacionais brasileiras. O motivador principal para esta resenha foram as irradiações que o termo “psicomotricidade” ganha no cotidiano escolar, sua força e sua disseminação dentro da prática pedagógica do professor de educação física, do pedagogo e da escola de uma maneira geral. O estudo em questão situa-se basicamente na análise do referencial teórico da dissertação em questão, tendo em vista que foi possível constatar, inserido no corpo do trabalho, uma análise rigorosa e uma densa crítica à própria psicomotricidade enquanto ciência do movimento e seus limites históricos. Entendemos que é de suma importância trazer à tona nesta resenha os elementos chave que constituem a psicomotricidade enquanto ciência de seu próprio tempo, alinhada a valores culturais, sociais e políticos dentro da sociedade capitalista. De perspectiva claramente materialista-histórico, o autor da dissertação posiciona-se antagonicamente às visões “ingênuas” e “docilizadas” da psicomotricidade, traçando uma trajetória histórica desta e a luta de classes, a psicomotricidade e o modo de produção capitalista, a psicomotricidade e a classe trabalhadora, a psicomotricidade e a escola pública, isto tudo alinhado ao desenvolvimento da sociedade.


Palavras-chave


Psicomotricidade; Capital, Corporalidade

Texto completo:

PDF PDF

Referências


ALVES, Giovanni. O Novo e Precário Mundo do Trabalho. São Paulo: Editora Boitempo. 2006.

ARGYRIS, C. Personalidade e organização – o conflito entre o sistema e o indivíduo. Rio de Janeiro: Renes, 1987.

FEDERICI, Silvia. O calibã e a bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva. São Paulo: Elefante. 2017.

FREIRE, Paulo. Educação e Mudança. Paz & Terra, RJ/SP, 2018, 38ª ed.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. Petrópolis, RJ: Vozes, 1988.

.Microfísica do Poder. Rio de Janeiro, RJ: Graal, 1979.

Galvão, Isabel (1999). Henri Wallon: Uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Petrópolis: Vozes.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida (Org.). Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. 9.ed. São Paulo: Cortez, 2006.

LE BOUCH, Jean O desenvolvimento psicomotor: do nascimento aos 6 anos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1987a.

PULASKI, Mary Ann Spencer. Compreendendo Piaget: uma introdução ao desenvolvimento cognitivo da criança. Rio de Janeiro, RJ.: zahar, 1983.

SILVA, V. Daniel. A Psicomotricidade como prática social: uma análise de sua inserção como elemento pedagógico nas creches oficiais de Curitiba (1986-1994). Universidade Federal do Paraná - UFPR. Dissertação de Mestrado. 2002.

WALLON, H. Do ato ao pensamento. Lisboa: Portugalia Editora, 1966.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556.

Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.