IDOSO, MODA E SEDENTARISMO: POSSÍVEIS RELAÇÕES

Murilo Cabral Gomes, Silvia M. Agatti Lüdorf

Resumo


Diante do aumento da população de idosos no Brasil, observa-se a inexistência de um mercado de moda específico para essas pessoas que contemple as alterações corporais e particularidades decorrentes do processo de envelhecimento. Este artigo, de cunho teórico, teve como objetivo analisar as principais alterações corporais decorrentes do envelhecimento e discutir até que ponto essas alterações podem se relacionar com a moda ou com os modos de se vestir do idoso. Argumenta-se que as modificações que ocorrem no organismo, bem como o sedentarismo, são potenciais fatores para as eventuais limitações físicas e funcionais que acometem os idosos. Tais limitações acabam por se refletir no modo de se vestir do idoso, que privilegia o caráter funcional das vestimentas. Sugere-se que a relação entre envelhecimento e moda seja repensada, na tentativa de se avaliar a necessidade de uma moda específica para o idoso que contemple essa fase e possa colaborar para uma melhor qualidade de vida.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556.

Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.