CONSTRUINDO REPRESENTAÇÕES

Claudio Marcelo de Almeida

Resumo


Resumo: Esta pesquisa-ação teve como objetivo verificar se contos de fadas ouvidos em sala de aula e, em seguida, vivenciados nas ações lúdicas das Oficinas do Jogo, apresentam alterações, mudanças, acréscimos, enriquecem quando forem representados graficamente pelos alunos de uma turma do terceiro ano do Ensino Fundamental. A pesquisa de cunho qualitativo foi realizada em uma escola da rede pública de ensino do município de Jaraguá do Sul -- SC. Os instrumentos da coleta de dados foram os registros gráficos das crianças e o diário de campo. A análise dos dados foi realizada mediante a técnica de análise do conteúdo. Concluímos que a atividade das Oficinas do Jogo ao proporcionar diversas relações e diálogos constituiu-se em um espaço de interlocução, facilitador de incorporação/apropriação e reelaboração do conto. Nestas práticas pedagógicas, as crianças tornaram-se co-autoras e autoras de suas histórias. No momento de redigir, elas já tinham assumido uma posição de autoria que foi amplamente reforçada com as Oficinas do Jogo.


Palavras-chave


Contos de fadas, Oficinas do jogo, representação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556. Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.