Relação entre o Nível de Autoeficácia e o Desempenho de Atletas de Vôlei de Praia

Nayara Malheiros Caruzzo, Rafael Hideki Abiko, Jéssica Chimatt da Silva, José Luiz Lopes Viera, Patrik Felipe Nazário

Resumo


O estudo objetivou analisar a relação entre a autoeficácia e o desempenho de atletas de vôlei de praia. Participaram do estudo 46 atletas de ambos os sexos participantes do Circuito Banco do Brasil Sub-21 de vôlei de praia. Como instrumento de medida utilizou- se a Escala de Autoeficácia Geral Percebida (The General Self-Efficacy Scale) (EAEGP) para analisar o nível de autoeficácia dos atletas. O desempenho esportivo foi avaliado de acordo com a classificação final obtida na competição, por meio da tabela do ranking dos atletas, disponibilizada no site da Confederação Brasileira de Voleibol (BCV). A coleta de dados ocorreu individualmente em uma etapa do primeiro semestre de 2012. Como resultados verificou-se que não houve associação significativa entre autoeficácia e o sexo (p= 0,367) e com o ranking (p=0,489). Conclui- se que o nível de autoeficácia dos atletas de vôlei de praia deste campeonato foi considerado alto.


Palavras-chave


Autoeficácia; Desempenho; Vôlei de praia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556.

Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.