TABU E TARJA: A AÇÃO DA CENSURA FEDERAL À PORNOCHANCHADA NOS ANOS 1970

Maílson Vieira de Oliveira, Antônio Reis Júnior

Resumo


Este artigo discorre sobre as práticas da Censura Federal na interdição de comédias eróticas na década de 1970, popularmente conhecidas como pornochanchadas, bem como o papel da imprensa e de segmentos da sociedade civil em críticas, embates e iniciativas de proibição e vetos aos filmes considerados obscenos e transgressores do padrão de moralidade aceito e defendido por setores conservadores e obscurantistas. A partir da análise documental de processos de censura do extinto Departamento de Censura a Diversões Públicas e de críticas cinematográficas publicadas na imprensa, o artigo revela os conflitos de classe e os estranhamentos políticos e estéticos destes setores com um cinema popular que conquistou o mercado cinematográfico em São Paulo e de grande aceitação do público.

Palavras-chave


Cinema; Censura; Pornochanchada;

Texto completo:

PDF

Referências


Livros

ABREU, Nuno César. Boca do lixo: Cinema e classes populares. São Paulo: Unicamp, 2006.

BERNARDET, Jean Claude. Cinema brasileiro: propostas para uma história. São Paulo: Cia

das Letras, 2009.

Parecer no 15764/74 - cinema / trailer. 30/05/1974. Arquivo Nacional, Projeto Memória da Censura no Cinema

Brasileiro 1964-1988, disponível em (Acesso em 13 de fevereiro de 2016).

BERNARDET, Jean Claude. Historiografia clássica do cinema brasileiro. São Paulo:

Annablume, 2003.

CAPUZZO, Heitor (org.). O cinema segundo a crítica paulista. São Paulo: Nova Stella, 1986.

CRUZ, Heloisa de Faria; PEIXOTO, Maria do Rosário da Cunha. Projeto História. Revista do

Programa de Estudos Pós-Graduados em História e do Departamento de História da Pontifícia

Universidade Católica São Paulo, n. 35, dez. 2007.

CUNHA, Maria Clementina Pereira. Ecos da folia: uma história social do Carnaval carioca

entre 1880 e 1920. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Organização e tradução de Roberto Machado. Rio

de Janeiro: Graal, 1979.

KUSHNIR, Beatriz. Cães de guarda: jornalistas e censores, do AI-5 à Constituição de 1988.

São Paulo: Boitempo, 2012.

LAMAS, Caio Túlio Padula. Boca do lixo: Erotismo, pornografia e poder no cinema paulista

durante a Ditadura Militar (1964-1985). Dissertação de Mestrado, defesa: 30 de setembro de

. ECA – USP. São Paulo, 2013.

RAMOS, José Mario Ortiz. Cinema, estado e lutas culturais: anos 50, 60, 70. Rio de Janeiro:

Paz e Terra, 1983.

SIMÕES, Inimá. Aspectos do cinema erótico paulista. Dissertação de Mestrado, ECA – USP.

São Paulo, 1984.

SIMÕES, Inimá. Roteiro da intolerância: A censura cinematográfica. São Paulo: Senac, 2012.

Periódicos

ANDRADE, Valério de. “Crítica – O Bordel”. O Globo, sem data. Arquivo Nacional, Projeto

Memória da Censura no Cinema Brasileiro 1964-1988, disponível em

(Acesso em 01 de novembro de 2016).

ANTONIO, Luís (1973). Rio de Janeiro - RJ. “Como é boa nossa empregada (e péssimo o nosso

cinema)” Diário de Notícias, 01 de junho. Arquivo Nacional, Projeto Memória da Censura no

Cinema Brasileiro 1964-1988, disponível em (Acesso

em 01 de novembro de 2016).

BITTENCOURT, Renato. “A viúva virgem – golpe baixo”. O Globo, 22 de abril de 1972.

Arquivo Nacional, Projeto Memória da Censura no Cinema Brasileiro 1964-1988, disponível

em (Acesso em 01 de novembro de 2016).

MACIEL FILHO, Godofredo. “Sonhos denegridos”. Jornal do Brasil, 07 de fevereiro de 1980.

Arquivo Nacional, Projeto Memória da Censura no Cinema Brasileiro 1964-1988, disponível

em (Acesso em 01 de novembro de 2016).

MONTEIRO, José Carlos. “Café na cama – requentado”. O Globo, 24 de abril de 1974. Arquivo

Nacional, Projeto Memória da Censura no Cinema Brasileiro 1964-1988, disponível em

(Acesso em 01 de novembro de 2016).

REIS JÚNIOR, Antonio; LAMAS, Caio Túlio Padula. A censura ao cinema no Brasil e os

percalços de Os garotos virgens de Ipanema. Revista de comunicação Midiática – UNESP.

Vol. 8, No 1: jan./abr. 2013.

SILVA, Alberto. “Crítica – A viúva virgem”. Correio da Manhã, 22 de junho de 1972. Arquivo

Nacional, Projeto Memória da Censura no Cinema Brasileiro 1964-1988, disponível em

(Acesso em 01 de novembro de 2016).

“Alta Prioridade”. Luta Democrática – Rio de Janeiro/RJ. 03 de março de 1972. Arquivo

Nacional, Projeto Memória da Censura no Cinema Brasileiro 1964-1988, disponível em

(Acesso em 01 de novembro de 2016).

“Festival da estupidez paulista”. Tribuna da Imprensa, sem assinatura. 20 de março de 1979.

Arquivo Nacional, Projeto Memória da Censura no Cinema Brasileiro 1964-1988, disponível

em (Acesso em 01 de novembro de 2016).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com