El homicidio y su caracterización situacional: Entre lo cuantitativo y lo cualitativo

Luis Gerardo Gabaldón

Resumo


O artigo revisa perspectivas sobre oportunidades e crime, dinâmicas de violência interpessoal e explicações macroestruturais aplicadas a homicídios como um evento situacional, a fim de propor uma abordagem integrada para sua explicação e intervenção. Usa-se como base dados quantitativos emergentes de pesquisas de vítimas e dados qualitativos emergentes de agentes de homicídio. Discute-se o acompanhamento de casos judiciais e entrevistas pessoais com assassinos condenados, triangulando, assim, informações tanto de informantes substitutos para vítimas como de próprios assassinos. Esta abordagem pode contribuir para preencher a lacuna entre as propriedades objetivas da situação, como atração de alvo ou falta de proteção, e questões motivacionais, a fim de contribuir para uma melhor compreensão dos homicídios em um contexto de alta incidência como a América Latina.

Palavras-chave


homicídio, violência, criminalidade, teoria situacional, políticas públicas

Texto completo:

PDF (Español (España))

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

             

APOIO:    

SCImago Journal & Country Rank