Morality and Homicide among Young Killers

Luis Gerardo Gabaldón

Resumo


A moralidade entre jovens condenados por homicídio é abordada por meio de equilíbrio ou polaridade, quando o autoempoderamento se torna central para o relato. Os sentimentos são analisados como uma fonte de fundamentos plausíveis para o agir, embora não necessariamente adequados ou legítimos de acordo com um código de comportamento convencional. O medo, em um sentido de desespero e ameaça, e a raiva, ligada ao poder e à excitação, foram recorrentes. Percepções de autoengrandecimento e de polaridade em vez de equilíbrio, sem menosprezo da vítima ou de apresentá-la como desonesta, revelaram uma tendência. O castigo estava frequentemente ligado à privação de contatos com a família, sugerindo a relevância social dos familiares, particularmente das mulheres, nos homicídios e nos relatos. Em Moralidade e homicídio entre jovens assassinos uma nova abordagem é sugerida,  a fim de avaliar as alegações morais em homicídios por jovens, dirigidas a audiências alternativas para além do sistema de justiça criminal.

Palavras-chave


violência, relatos, jovens, narrativas, apresentação de si

Texto completo:

PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.4322/dilemas.v14n3.43002

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Ao submeter um texto, o(s) autor(es) declara(m) aceitar todos os termos e condições da revista e cede(m) a ela os direitos de publicação impressa e digital. Os direitos autorais dos artigos publicados são do autor, porém com direitos da DILEMAS - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social sobre a primeira publicação.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

             

APOIO: