Carreiras subjetivas entre agentes da Polícia de Segurança Pública em Portugal

Susana Durão

Resumo


Este texto propõe o resgate do conceito de “carreira subjetiva”, de Everett Hughes, no seio de uma teoria social das organizações. O objetivo mais específi co consiste em propor uma análise da forma como é percepcionada
por polícias uma certa lógica nas suas trajetórias profissionais. O texto baseia-se numa etnografia recente desenvolvida em esquadras de Lisboa. Nele são exploradas as construções subjetivas que estão na base das fases da vida profi ssional dos agentes e a definição de certos estilos de ser polícia. Sempre que oportuno, são apontadas algumas diferenças manifestas na socialização de homens e de mulheres nesses contextos.

 

Subjective careers among Public Security Police Officers in Portugal proposes the retrieval of Everett Hughes’ concept of “subjective career”, embedded in a social theory of organizations. The objective consists of proposing an analysis of how police offi cers perceive a certain rationality in their professional careers. The text is based on an ethnography conducted at Lisbon police stations. This research explored the subjective constructions that underlie the stages of the offi cers’ professional life and the definition of certain policing styles. Whenever relevant, some manifest diff erences between the socialization of men and of women in these contexts are identified.


Palavras-chave


carreiras subjetivas, polícias, estilos policiais, pluralidade profissional, contextos urbanos portugueses

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

APOIO: 

SCImago Journal & Country Rank