‘Parado na esquina': Performances masculinas e identificações entre ‘bondes' juvenis na Nova Holanda, Maré, RJ

Carla dos Santos Mattos

Resumo


No contexto do Rio de Janeiro, a criminalização mais ampla dos moradores de favela, baseada na acusação de que eles são coniventes com traficantes, impõe aos primeiros a “limpeza moral” como recurso de apresentação de si. A partir de pesquisa etnográfica sobre os “bondes” (grupos) juvenis “parados na esquina” (socializando entre si em um ponto de encontro da favela) na Nova Holanda, no Complexo da Maré, no contexto pré-implantação das Unidades de Polícia Pacificadora, este artigo analisa mecanismos de distinção entre “bandidos” e “moradores” que não passam pelo recurso de “limpeza moral” do “favelado”, imposto como característica específica de “construção das margens do Estado”, no sentido proposto por Das e Poole

 

In Rio de Janeiro, the broader criminalization of favela residents, based on the accusation that they connive with drug dealers, imposes a “moral cleaning” on the former as recourse to self-representation. Based on an ethnographic study into the “parados na esquina” (in English, “standing on the corner”) bondes or funk posses of youths in Nova Holanda, in the Complexo da Maré favelas, preceding the implementation of the Pacification Police Units, the article ‘Parado na Esquina': Male Performances and Identifications among Funk ‘Bondes' in Nova Holanda, Maré, RJ investigates mechanisms of distinction between “gangsters” and “residents” who do not undergo the “favelado” “moral cleaning”, imposed as a specific characteristic of “constructing margins of the State”, in the sense proposed by Das and Poole.

Key words: favela, crime, youth, gender, UPP


Palavras-chave


favela, crime, juventude, gênero, UPP

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

             

APOIO:    

SCImago Journal & Country Rank