A comensalidade do terror: Uma comparação de práticas sociais entre Argentina e Colômbia

Santiago Alvarez

Resumo


Este artigo propõe-se a discutir a construção de laços sociais de pertencimento, amizade e cumplicidade entre grupos perpetradores de violência e geradores de terror. Para isso, baseia-se em dois exemplos dessemelhantes: de um lado, a pesquisa de campo em uma comunidade campesina na Colômbia; de outro, um massacre político durante a ditadura militar na Argentina. Em ambos, considera-se a violência não como algo desagregador ou disruptivo, mas construtor de laços entre os agressores. Certos atos ritualizados de solidariedade e comensalidade ao mesmo tempo reforçam os laços de cumplicidade em um grupo e fazem seus membros descarregar a violência sobre outros.

 

The Commensality of Terror: A Comparison Between Social Practices in Argentina and Colombia intends to discuss the construction of social belonging, friendship and complicity between groups that per­petrate violence and generate terror. It is based on two dissimilar examples: a fieldwork in a peasant community in Colombia and a political massacre during the military dictatorship in Argentina. In both cases, we approach vio­lence not as something disintegrator or disruptive, but as something capable of creating bonds between the ag­gressors. Certain ritualized acts of commensality and soli­darity both reinforce the bonds of complicity in a group and make its members turn the violence against others.

Key words: commensality, violence, Argentina, Colombia, friendship bonds


Palavras-chave


terror, violência, Argentina, Colômbia, laços de amizade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

             

APOIO:    

SCImago Journal & Country Rank