Vara Cível da Infância e Juventude de Belo Horizonte: Cotidiano do trabalho e judicialização das relações familiares

Rita de Cássia Fazzi

Resumo


O artigo discute os resultados de entrevistas com o juiz, assessores do gabinete e técnicos da Vara Cível da Infância e Juventude de Belo Horizonte. O estudo pretende captar a lógica em uso pelos agentes que produzem e reproduzem o sistema judicial por meio de suas práticas cotidianas, compreendendo as representações e os significados a respeito do trabalho que realizam e dos desafios e dificuldades enfrentados. A interpretação revelou a tensão entre lógica social/substantiva e lógica jurídica/formal e aponta para a importância do aprofundamento analítico do processo de judicialização das relações familiares em curso.

 

The article Child and Juvenile District Court of Belo Horizonte: The Daily Work Routine and the Judicial­ization of Family Relationships discusses the results of interviews conducted with the judge, court assistants and technicians of the Child and Juvenile District Court of Belo Horizonte. The study intends to capture the logic used by the agents who produce and reproduce the ju­dicial system through their everyday practices, including the representations and meanings in relation to the work they execute and the challenges and difficulties they face. The interpretation revealed the tension between the so­cial/substantive logic and the legal/formal logic and indi­cates the importance of deeper analysis into the ongoing process of judicialization of family relationships.

Keywords: Child and Juvenile District Court, judicial work, protective measures, child and juvenile law, judicialization


Palavras-chave


Vara Cível da Infância e Juventude, trabalho judicial, medidas protetivas, direito infanto-juvenil, judicialização

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

             

APOIO: