Como se articulam vergonha e quebra de confiança na justificação da ação moral

Mauro Guilherme Pinheiro Koury, Marcela Zamboni, Simone Magalhães Brito

Resumo


Este artigo tem como objetivo compreender a relação entre medos e cotidiano, a partir de um caso ocorrido no bairro do Rangel, em João Pessoa, Paraíba, no mês de julho de 2009, ocorrência que ficou conhecida no imaginário de cidade como “a chacina do Rangel”. A narrativa apresentada, através de um balanço das emoções envolvidas no processo, se baseou na terminologia eliasiana sobre a vergonha, como um sentimento social e moral, associando-a às noções de quebra de confiança de Sennet (1980; 1972), de raiva-ira e de inferioridade trazidas por Retzinger (1991), Scheff (1990) e Scheff e Retzinger (1991), entre outros.

 

The article The Roles of Shame and Breaking Trust in the Justification of Moral Action aims to offer an understanding of the relationship between fears and everyday life, based on a case that oc­curred in the neighborhood of Rangel, in João Pes­soa, Paraíba, Brazil, in July 2009. This event became known as The Rangel Massacre. Weighing up the emotions involved in the process, the narrative is based on the Eliasian terminology about shame, as a social and moral feeling, associating it to Sennet's notions of breaking trust (1980; 1972), of anger and inferiority brought by Retzinger (1991), Scheff (1990) and Scheff and Retzinger (1991), among others.

Keywords: massacre, fear, shame, trust, morality


Palavras-chave


chacina, medo, vergonha, confiança, moralidade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

             

APOIO:    

SCImago Journal & Country Rank