QUILOMBO E FAVELA: RESISTÊNCIA E CONSTRUÇÃO SOCIAL

Júlio Cesar de Souza Dória

Resumo


 

 

  

O presente artigo tem como objetivo analisar a trajetória de uma prática de apoio mútuo nas comunidades pobres e negras do Brasil, em específico, do Rio de Janeiro. Pretende-se apontar para uma historicidade na organização e construção de práticas voltadas para manutenção, fortalecimento e sobrevivência dessas comunidades em articulação com favelas do Rio de Janeiro.

 


Palavras-chave


anarquismo periférico

Texto completo:

PDF DOCX

Referências


BAKUNIN, Mikhail Aleksandrovitch (2011). O princípio do Estado e outros ensaios. São Paulo: Hedra.

______________________________ (2011). Três conferências. In: O princípio do Estado e outros ensaios. São Paulo: Hedra.

CÁCERES, Luz Stella Rodríguez (2017) « Paisagem, memória e parentesco no quilombo de Vargem Grande, RJ », Etnográfica [Online], vol. 21 (2), Online desde 09 Julho 2017, consultado em 12 Julho 2017. URL : http://etnografica.revues.org/4908.

CLASTRES, Pierre (2017). A sociedade contra o Estado: pesquisas de antropologia política. São Paulo: UBU.

COLOMBO, Eduardo (2001). O Estado como paradigma de poder. São Paulo: Imaginário.

CORRÊA, Armando Magalhães (1936). O sertão carioca. Rio de Janeiro: Ed. IHGB.

DOMINGUES, Petrônio (2011). Cidadania levada a sério: os Homens de Cor no Brasil. In: GOMES, Flávio dos Santos & DOMINGUES, Petrônio (org.) Experiências da emancipação: biografias, instituições e movimentos sociais no pós-abolição (1890-1980). São Paulo: Selo Negro.

DÓRIA, Júlio C. de S (2015). A Confederação Abolicionista e o abolicionismo na Corte: projetos e estratégias de inserção do negro na sociedade brasileira. Dissertação de mestrado. Rio de Janeiro: UFRJ.

DÓRIA, Renato de Souza (2015). Memória e história da ocupação e dos conflitos de terra no Sertão Carioca. In: POTENGY, Gisélia Franco. & VENANCIO, Ana Teresa A. O asilo e a cidade: histórias da Colônia Juliano Moreira. Rio de Janeiro: Garamond.

ENGEMAN, Carlos; GUIMARÃES, Maria Aparecida de Oliveira. ; MUSITANO, Mirtes Cavalcanti.; SILVEIRA, Angela Maria Rosa (2010). Marcas das mãos. In: As marcas do homem na floresta: história ambiental de um trecho urbano da Mata Atlântica. (org.) OLIVEIRA, Rogério Ribeiro de. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio.

FRIDMAN, Fania. Donos do Rio em nome do rei: uma história fundiária da cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar/Garamond.

GOMES, Eduardo Rodrigues (1983). Campo contra cidade: o ruralismo e a crise oligárquica no pensamento brasileiro (1910-1935). – In: Revista Brasileira de Estudos Políticos. Belo Horizonte, Minas Gerais: UFMG.

GOMES, Flávio dos Santos (2006). História de quilombolas: mocambos e comunidades de senzalas no Rio de Janeiro (século XIX). São Paulo: Companhia das Letras.

______________________ (2015). Mocambos e Quilombos: uma história do campesinato negro no Brasil. São Paulo: Claro Enigma.

______________________ (2011). “No meio das águas turvas”: raça, cidadania e mobilização política na cidade do Rio de Janeiro (1888-1889). In: GOMES, Flávio dos Santos & DOMINGUES, Petrônio (org.) Experiências da emancipação: biografias, instituições e movimentos sociais no pós-abolição (1890-1980). São Paulo: Selo Negro.

GUIMARÃES, Elione Silva (2009). Terra de Preto: usos e ocupação da terra por escravos e libertos (Vale do Paraíba Mineiro, 1850-1920). Rio de Janeiro: Editora da Universidade Federal Fluminense.

MALATESTA, Errico (2014). Escritos Revolucionários. São Paulo: Hedra.

MARTINS, Robson Luís Machado (2005). Os caminhos da liberdade: abolicionistas, escravos e senhores na província do Espírito Santo (1884-1888). Campinas, SP: Unicamp/CMU.

MENDONÇA, Sonia Regina de (1997). O ruralismo brasileiro (188-1931). São Paulo: Hucitec.

OLIVEIRA, Rogério Ribeiro de (2010). Os cenários da paisagem. In: As marcas do homem na floresta: história ambiental de um trecho urbano da Mata Atlântica. (org.) OLIVEIRA, Rogério Ribeiro de. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio.

PROUDHON, Pierre-Joseph (2015). Solução do problema social. São Paulo: Edusp.

RIOS, Ana Maria & MATTOS, Hebe Maria (2007). Pra além das senzalas: campesinato, política e trabalho rural no Rio de Janeiro pós-Abolição. In: Quase-cidadão: histórias e antropologias da pós-emancipação no Brasil. (ORG.) CUNHA, Olívia Maria Gomes da. & GOMES, Flávio dos Santos. Rio de Janeiro: Editora FGV.

SILVA, Eduardo & REIS, João José (1989). Negociação e Conflito. São Paulo: Companhia das Letras.

SANTOS, Leonardo Soares dos (2005). Um sertão entre muitas certezas: a luta pela terra na zona rural do Rio de Janeiro (1945-1964). Dissertação de mestrado. Niterói: UFF.

________________________. Estado e Capital contra a sociedade em Jacarepaguá: ontem e hoje. Disponível em < http://ihbaja.blogspot.com.br/2015/01/estado-e-capital-imobiliario-contra-o.html>. Acesso em: 12 de julho de 2017.

_________________________ (2010). A desruralização da cidade como expressão da ruptura do metabolismo entre cidade e campo: exemplo do Rio de janeiro de fins do século XIX. In: De cidades e territórios. FRIDMAN, Fania (org.). Rio de Janeiro: PoD editora.

SCOTT, James C (2011). Exploração normal, resistência normal. Revista Brasileira de Ciência Política, nº 5. Brasília.

THOMPSON, E. P (1998). Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras.

Fontes

Gazeta da Tarde, 13 de junho de 1891.

Lei Estadual nº 2.377 de 28 de junho de 1974.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Estudos Libertários

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.