EXPERIÊNCIA NEGRA, TEMPOS DE CORNONAVÍRUS

Diego Henrique Nascimento Santos

Resumo


O intuito principal do texto é meditar acerca das experiências de tempo subsumidas na lógica do consumismo – projeto neoliberal e projeto de “sujeitos” –, bem como aberturas temporais possibilitadas pelo acontecimento do novo coronavírus (covid-19). Tento, no escrever, mostrar que as produções compulsórias promovidas pelo capital e a produção/construção de um “sujeito universal” evidenciam uma mesma abertura temporal, atuando também como ponto de inflexão. Esta abertura, por conseguinte, contribui para manutenção do sistema produtivo e alienação das/os negras/os explorados por ele. Destituir um, implica também a destituição do outro. Por fim, intuímos que a experiência negra nos dias de hoje só é possível, na condição da criação de um novo mundo e de uma nova experiência temporal, destituindo não só o sistema capitalista mundial, mas também, esse sujeito que o constitui.

 


Palavras-chave


experiência negra, tempo, sujeito, capitalismo, coronavírus.

Texto completo:

PDF DOCX

Referências


BENTO, Maria Aparecida Silva. (2014), Branqueamento e branquitude no Brasil In CARONE, Iray; BENTO, Maria Aparecida Silva (orgs); Psicologia social do racismo: estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil; Petrópolis; Editora Vozes; pp. 25-57.

D'AMARAL, Márcio Tavares. (1995), O Homem sem fundamentos: sobre linguagem, sujeito e tempo. Rio de Janeiro: UFRJ - Tempo Brasileiro.

DE MORAES, Wallace (2020). É hora de abandonar o vírus do liberalismo econômico. Le Monde diplomatique Brasil. Edição Abril. Disponível em https://diplomatique.org.br/e-hora-de-abandonar-o-virus-do-liberalismo-economico acessado em 03 de abril de 2020.

DELEUZE, Gilles. (2012), Espinosa: filosofia prática. São Paulo: Escuta.

DELEUZE, Gilles. (1978), Nietzsche e a filosofia. Porto: RÈS-Editora.

ERVIN, Lorenzo Kom’Boa. (2015), Anarquismo e revolução negra. Coletivo Editorial Sunguilar.

FOUCAULT, Michel. (2013), Microfísica do Poder. São Paulo: Edições Graal.

HARVEY, David. (2020), Política anticapitalista em tempos de COVID-19 In DAVIS, Mike, et al; Coronavírus e a luta de classes; Terra sem Amos; pp.13-24.

KILOMBA, Grada. (2019), Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó.

LAZZARATO, Maurizio. (2006), As revoluções do capitalismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

LEONARDI, Victor. (1999), A idade do Brasil 1. Brasília: Ministério da Educação. (Cadernos da TV Escola).

LEVY, PIERRE. (2011), O que é o virtual? São Paulo: Editora 34.

MBEMBE, Achille. (2014), Crítica da razão negra. Lisboa: Antigona.

NIETZSCHE, Friedrich. (1999), Para a genealogia da moral In: NIETZSCHE, Friedich: Coleção Os Pensadores; São Paulo; Editora Abril Cultura; pp. 337-370.

NIETZSCHE, Friedrich. (2010), Vontade de potência I. São Paulo: Escala.

SOUZA, Ricardo Timm de. (2018), Ética do escrever: Kafka, Derrida e Literatura como crítica da violência. Porto Alegre: Zouk.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Estudos Libertários

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.