A memória de Francisco Ferrer na construção da identidade operária na Amazônia: a repercussão da morte e das ideias do professor espanhol entre os trabalhadores de Belém e de Manaus na década de 1910

Marcos Lucas Abreu Braga

Resumo


Resumo: O presente artigo tem como objetivo analisar a repercussão das ideias e da memória do assassinato do pedagogo espanhol Francisco Ferrer y Guardía no movimento operário dos dois maiores centros urbanos da Amazônia brasileira, Manaus e Belém, ao longo da década de 1910. A partir da análise de jornais, tanto da imprensa operária quanto da comercial/diária, se mapeou os eventos em memória de Ferrer empreendidos pelos trabalhadores amazônidas; se verificou a associação entre a lembrança de Ferrer e a luta pela educação formal, bem como ao anticlericalismo; e sugere-se que a rememoração do assassinato do professor catalão foi um elemento que contribuiu para a formação de uma identidade coletiva de classe entre os trabalhadores destas cidades.

Palavras-chave: Francisco Ferrer; Movimento Operário; Amazônia; Pedagogia Racionalista.

Palavras-chave


Francisco Ferrer; Movimento Operário; Pedagogia Racionalista

Texto completo:

PDF

Referências


Referências Bibliográficas:

BATALHA, Cláudio H. De Moraes. (2000), O movimento operário na Primeira República. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.

BATALHA, Claudio H. De Moraes. (1999) Sociedades de trabalhadores no Rio de Janeiro do século XIX: algumas reflexões em torno da formação da classe operária. Cadernos AEL, v. 6, p. 42-66.

BILHÃO, Isabel. (2016) Imprensa e educação operária: análise da difusão do ensino racionalista em jornais anarquistas brasileiros (1900-1920). Educação Unisinos, v. 20, n. 2, p. 176-184.

BOSI, Ecléa. (2003), O tempo vivo da memória: ensaios de psicologia social. São Paulo: Ateliê Editorial.

BURKE, Peter. (2008), O que é história cultural? Rio de Janeiro: Zahar.

CRUZ, Manuel Carvalho Ferreira (2012). O Movimento Libertário Portuense à Luz do periódico A Aurora (1910-1919). Dissertação (mestrado em História), Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Porto.

DE FIGUEIREDO, Aldrin Moura. (2005) Rubra Poesia: Bruno de Menezes, anarquista, 1913-1923. Asas da palavra, v. 10, n. 1, p. 69-77.

FONTES, Edilza J. O. (2002). "Preferem-se portugues (as)": trabalho, cultura e movimento social em Belém do Para (1885-1914). Tese (Doutorado em História Social), Universidade de Campinas, São Paulo.

GALLO, Sílvio. (2013). Francisco Ferrer Guardia: o mártir da escola Moderna. Pró-Posições, v. 24, n. 2, p. 241-251.

GONÇALVES, Aracely Mehl (2007). Francisco Ferrer y Guardia: Educação e a imprensa anarcosindicalista – “A Plebe” (1917- 1919). Dissertação (Mestrado em Educação) -Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa.

HOBSBAWM, Eric. (1988), A Era dos Impérios: 1875-1914. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

HOBSBAWM, Eric. (2015), Mundos do Trabalho: Novos estudos sobre a História Operária. São Paulo: Paz e Terra.

LEUTPRECHT, Douglas Bahr; DALLABRIDA, Norberto. (2020) Usos da pedagogia racionalista na escola moderna nº 1 de São Paulo (1913-1919). Historia y Memoria de la Educación, n. 11, p. 397-431.

LÖWY, Michael. (2005), Walter Benjamin - aviso de incêndio: uma leitura das teses sobre o conceito de história. São Paulo: Boitempo Editorial.

MARTINS, Pablo dos Santos. (2018). O anticlericalismo anarquista durante a Primeira República (1899-1930). Revista Cantareira, nº 28, Jan-Jul, p. 150-160.

MORAES, C.S.V; MATE, C.H; ACCIOLY E SILVA, D. (2007). Inventário de Fontes Arquivo João Penteado. São Paulo, SP: Centro de Memória da Educação/FEUSP.

NEVES, Ana Paula. (2020) Edições em homenagem à Francisco Ferrer e repercussão de ideias no jornal anticlerical A Lanterna (1910-1911). In: XXV Encontro Estadual de História da ANPUH-SP.

POLETTO, Caroline. (2014) Por uma história transnacional da imprensa anarquista e anticlerical: a repercussão do caso Ferrer pelas páginas subversivas argentinas, brasileiras e espanholas (1909-1916). Oficina do Historiador, p. 128-146.

SILVA, Pedro. (2015) Os germens são semeados: as experiências da Escola Moderna ao redor do mundo. Revista HISTEDBR On-line, v. 15, n. 64, p. 201-220.

TELES, Luciano Everton Costa. (2017). Acerca do jornal Confederação do Trabalho: Mundos do Trabalho, elite extrativista/comercial e “bloco de interesse do trabalho” – Amazonas, 1909/1910. Manduarisawa-Revista Eletrônica Discente do Curso de História da UFAM, 1(1), 59-76.

TELES, Luciano Everton Costa. (2017). Tércio Miranda: uma liderança anarquista na Amazônia (1913-1914). Mundos do Trabalho, v. 9, n. 17, p. 101-119.

THOMPSON, Edward Palmer. (1987), A Formação da Classe Operária Inglesa. Rio de Janeiro: Paz e Terra.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Revista Estudos Libertários

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.