O colecionador de palavras

Eduardo A. S. Queiroz

Resumo


Em “O colecionador de palavras” temos um personagem homem que fala diretamente com o leitor e que, não obstante tenha nascido em um ambiente privilegiado ao desenvolvimento de suas habilidades, não sabe o que fazer com seus talentos. Em uma escritura que nos faz lembrar o romance Oblómov, de Ivan Gontcharov ou as Memórias Póstumas de um anti-herói brasileiro bem conhecido, o autor nos remete
à ideologia “black pill” dos “Incels”, (“involuntary celibates” ou, em português, “homens virgens involuntários”). Os “incels” “blackpilled”
acreditam em um conjunto de crenças que envolvem, entre outras coisas, o fatalismo e o determinismo biológico para justificarem
a sua misoginia. Ou seja, é preciso muito Freud para tentar explicar.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.