A intuição do Todo indistinto

Eliseu Raphael Venturi

Resumo


Trata-se de um microconto cuja narrativa se inicia a partir do estopim de uma casa à venda e se desenvolve na deambulação por um curto trajeto em uma rua cujos elementos ordinários (outras casas, calçadas, muros, árvores, etc.), pessoas, variações do céu e clima ativam no narrador diferentes memórias, que se confundem progressivamente com a degradação do espaço, espelho e identidade da finitude do eu-atual, apresentando-se um bloco de intuição do todo indistinto, tecido por memórias de longa e curta duração.


Palavras-chave


Memória; deambulação; degradação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.