Tradições Reinventadas em Boaventura Cardoso: a criança, a árvore e o ancião1

Renata Souza da Silva

Resumo


Ao recorrermos às figuras da criança, da árvore e do ancião -- em nossa análise do livro A morte do velho Kipacaça --, focalizamos as raízes das tradições banto-angolanas em sua essência mais profunda, uma vez que esses elementos simbólicos representam a visão de mundo do homem africano (angolano). A criança e o ancião constituem-se, pois, como as pontas da existência, compondo o ciclo do eterno retorno; a árvore, receptáculo dos espíritos dos ancestrais, cuja importância se reflete no cotidiano de diversas etnias de Angola, abre-se a múltiplas significações. É assim que percorremos alguns meandros das culturas banto-angolanas e os efeitos produzidos por elas nesta obra de Boaventura Cardoso.
PALAVRAS-CHAVE: criança, ancião, árvore, tradições e palavras.


Palavras-chave


PALAVRAS-CHAVE: criança, ancião, árvore, tradições e palavras.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.35520/mulemba.2009.v1n1a4676

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Mulemba

Indexadores e bases bibliográfcias:
Periódicos Capes Latindex Diadorim EZB Google Acadêmico  DRJI  Livre Base  Sudoc Worldcat HNU  InfoGuide 


Licença Creative Commons
A Revista Mulemba utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.