BALADA DE AMOR AO VENTO: AS RELAÇÕES DE GÊNERO NA FICÇÃO DE PAULINA CHIZIANE

Sávio Roberto Fonseca de Freitas

Resumo


O objetivo de nosso estudo é desenvolver uma análise do romance Balada de amor ao vento (1990), da escritora moçambicana Paulina Chiziane, numa perspectiva de intervenção que problematiza as relações de gênero em Moçambique. O regime de poligamia em Moçambique, nesse sentido, torna-se um ponto de intersecção que, embalado pela narração poética de Sarnau, protagonista da referida narrativa, provoca uma discussão sobre as tensões políticas, culturais e religiosas da sociedade moçambicana. Propõe também uma leitura do papel da mulher moçambicana, presa a uma estrutura social machista, incompatível com a proposta de modernização de um país que experiência o processo de formação identitária. Neste romance, podemos perceber que o relato das experiências amorosas de Sarnau é uma forma de universalizar as particularidades femininas, de questionar a condição masculina e dar visibilidade à condição feminina em Moçambique.

PALAVRAS -CHAVE: Paulina Chiziane; relações de gênero; narrativa.


Palavras-chave


Paulina Chiziane; relações de gênero; narrativa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.35520/mulemba.2014.v6n10a5001

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Mulemba

Indexadores e bases bibliográfcias:
Periódicos Capes Latindex Diadorim Sumários.org  EZB Google Acadêmico  DRJI  Livre Base  Sudoc Worldcat HNU  InfoGuide 


Licença Creative Commons
A Revista Mulemba utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.