Violências silenciadas no feminino: uma leitura de Essa Dama Bate Bué! de Yara Monteiro

Sandra Sousa

Resumo


Tendo por base a mais recente pesquisa sobre mulheres e violência durante o período colonial e o da guerra civil que marcou a pós-independência em Angola, analiso Essa Dama Bate Bué!, o romance de estreia da escritora Yara Monteiro. É o meu objectivo mostrar, por um lado, como este romance nos revela que escrever sobre questões pessoais significa também escrever sobre política. Por outro lado, é a minha intenção explorar como a autora vai mais longe ao criar personagens femininos que exercem violência sobre outras mulheres e, mais especificamente, sobre os seus filhos. Este romance demonstra a interligação entre a violência pública e privada e o seu efeito na vida social e psicológica. Por último, é objectivo desta apresentação enfatizar as formas silenciadas de violência familiar no contexto mais amplo da guerra colonial e civil em Angola e as suas repercussões na pós-independência do país.


Texto completo:

PDF

Referências


CARUTH, Cathy. Unclaimed Experience: Trauma, Narrative, and History. Baltimore: Johns Hopkins UP, 1996.

FANON, Franz. Black Skin, White Masks. New York: Grove Press, 1967.

HEMON, Aleksandar. The Book of My Lives. London: Picador, 2013.

HENRIQUES, Joana Gorjão. Yara Monteiro. Sou trineta da escravatura, bisneta da mestiçagem, neta da independência e filha da diáspora. Ípsilon. March 21 2019. Acessado em: 25 Maio 2020.

KALISA, Chantal. Violence in Francophone African and Caribbean Women’s Literature. Lincoln, Nebraska, EUA: U. of Nebraska Press, 2009.

MONTEIRO, Yara. Essa Dama Bate Bué! Lisboa: Guerra & Paz, 2018.

MOREIRA, Terezinha Taborda. História, Violência e Trauma na Escrita Angolana e Moçambicana. Cadernos CESPUC. Nº 27, p. 1-12, Belo Horizonte, 2015.

PAREDES, Margarida. Combater Duas Vezes. Mulheres na Luta Armada em Angola. Vila do Conde: Verso da História, 2015.

QUAYSON, Ato. Symbolisation Compulsions: Freud, African Literature and South Africa’s Process of Truth and Reconciliation. The Cambridge Quarterly. Vol. 30, nº 3, p. 191-214, 2001.

STUCKI, Andreas. Violence and Gender in Africa’s Iberian Colonies. Feminizing the Portuguese and Spanish Empire, 1950s-1970s. Switzerland: Palgrave Macmillan, 2019.




DOI: https://doi.org/10.35520/mulemba.2021.v13nEsp.a51058

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Revista Mulemba

Indexadores e bases bibliográfcias:
Periódicos Capes Latindex Diadorim EZB Google Acadêmico  DRJI  Livre Base  Sudoc Worldcat HNU  InfoGuide 


Licença Creative Commons
A Revista Mulemba utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.