Na tessitura híbrida dos signos: Manoel de Barros e Mia Couto em diálogo

Maria Zilda da Cunha, Maria Auziliadora Fontana Baseio

Resumo


Este artigo pretende discutir, na perspectiva da Literatura Comparada, a relevância de dois projetos estéticos e políticos -- de Manoel de Barros e de Mia Couto -- e suas motivações relacionadas à construção híbrida de discursos a partir da oralidade e da escrita.

Palavras-chave


oralidade, escrita, Manoel de Barros, Mia Couto

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.35520/mulemba.2016.v8n15a5330

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Mulemba

Indexadores e bases bibliográfcias:
Periódicos Capes Latindex Diadorim EZB Google Acadêmico  DRJI  Livre Base  Sudoc Worldcat HNU  InfoGuide 


Licença Creative Commons
A Revista Mulemba utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.