A CONTRIBUIÇÃO DAS RELAÇÕES PÚBLICAS NA GESTÃO DO CONHECIMENTO ORGANIZACIONAL EM UMA INSTITUIÇÃO FEDERAL DE ENSINO SUPERIOR: UM ESTUDO DE CASO NO CEFET/RJ

Marilda Barroso Bottino, Emmanuel Paiva de Andrade

Resumo


Partindo da premissa de que relações públicas trabalham com ingredientes como credibilidade, informação, pessoas e organizações, o presente artigo investiga o modo como o conhecimento é socializado no ambiente do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ), a partir da análise dos fluxos de informação e conhecimento produzidos pelo seu público interno (docentes e administrativos). Para isto, vai buscar contribuições teóricas de Gestão do Conhecimento em Nonaka e Takeuchi (1997; 2008),que propõem mecanismos de conversão e compartilhamento capazes de gerar novos conhecimentos, em Weick (1995), que introduz o conceito de sensemaking organizacional nas relações do público com o seu ambiente, e, ainda, nos princípios das relações públicas de integração dos públicos institucionais com a instituição, conforme explorado por Kunsch (2016). O método utilizado foi o estudo de caso, tendo por unidade de análise os servidores docentes e técnicos da instituição. Os resultados apontam para as diferentes perspectivas dos diversos segmentos profissionais, e como as políticas de comunicação e gestão estratégica da instituição têm mais reforçado que mitigado essas dificuldades. Diante disto, é proposto um conjunto de instrumentos que podem subsidiar uma futura revisão das referidas políticas, destacando o papel a ser desempenhado neste contexto pelos profissionais de relações públicas.


Palavras-chave


Gestão do Conhecimento; Sensemaking; Relações Públicas; Organização; CEFET/RJ.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, M. L. Gestão do conhecimento e seus impactos culturais no SERPRO: a percepção de gerentes e empregados da regional. 2006. 152 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão Pública para o desenvolvimento do Nordeste)‒ UFPE, Recife, 2006.

ANGELONI, T. M. Organizações do conhecimento: infraestrutura, pessoas e tecnologias. Rio de Janeiro: Saraiva, 2002.

BERGER, P. L.; LUCKMANN, T. A construção social da realidade. Petrópolis: Vozes, 1985.

BERTOLLA, L. F. A dimensão tácita do conhecimento nas práticas contábeis: uma análise dos processos de elaboração e apresentação de relatórios em organizações contábeis. 2012. 105 f. Dissertação (Mestrado)‒ Universidade de Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, 2012.

CEFET/RJ -- Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca. Programa de Desenvolvimento Institucional -- PDI, 2010-2014. Rio de Janeiro, 2010.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Editora SENAC, 2003.

CONSELHO REGIONAL DE RELAÇÕES PÚBLICAS -- CONRERP. Lei nº 5.377, de 11 de 11 de dezembro de 1967. Disciplina a profissão de Relações Públicas e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 23 jan. 2015.

DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, L. Conhecimento empresarial. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

DRUCKER, Peter. Além da revolução da informação. HSM Management, São Paulo, ano 4, n. 18, p. 48-55, jan.-fev. 2000.

EVANGELISTA, M.F. Planejamento de relações públicas. Rio de Janeiro: Tecnoprint, 1983.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2002.

INAZAWA, F. K. O papel da cultura organizacional e da aprendizagem para o sucesso da gestão do conhecimento. Perspectiva em ciência da informação, Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, v. 14, n. 3, p. 206-220, set. 2009.

KUNSCH, M. M. K. Planejamento de relações públicas na comunicação organizacional integrada. São Paulo: Editora Summus, 2003.

______. Planejamento e gestão estratégica de relações públicas nas organizações contemporâneas. Revista Catalanes amb Accés Obert: comunicacion y cultura, Universidade Autônoma de Barcelona, Barcelona, 1995, n. 8, p. 7-28, 2006.

LAVE, J.; WENGER, E. Situade learning, legitimate peripheral participation. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.

MARINHO, R. de C. P. A implementação de procedimentos de controle como estrateÌgia de disseminação do conhecimento e instrumento para atingir eficieÌ‚ncia na fiscalização de contratos de serviços terceirizados em uma universidade puÌblica. 2012. 176 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Sistemas de Gestão)‒ Departamento de Engenharia de Produção da Universidade Federal Fluminense, NiteroÌi, 2012.

MONTENEGRO, L. M. Conhecimento e sensemaking: reflexões para a área de educação. Revista Organizações em Contexto, São Paulo, v. 7, n. 14, p. 143-163, 2011.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. 20. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

______. Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookman, 2008.

POLANY, M. The tacit dimension. London: Routdedge & Kegan Paul, 1966.

SIMÕES, R. P. Relações públicas: função política. São Paulo: Editora Summus, 1995.

TEJERA DE RÉ, C. A. et al. O impacto da cultura organizacional no processo de gestão do conhecimento. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 27, Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil, 2007.

THOMAS, J. B.; CLARK, S. M.; GIOIA, D. A. Strategic sensemaking and organizational performance: linkages among scanning, interpretation, action and outcomes. Academy of Management Journal. Disponível em: . Acesso em: 23 jan. 2015.

WEICK, K. A. A psicologia social da organização. São Paulo: Edgard Blücher, 1973.

______. Educational organizations as loosely coupled systems. Administrative Science Quartely, Cornell University, New York, v. 21, n. 1, p. 1-19, mar. 1976.

______. Sensemaking nas organizações. Tradução de: Sensemaking in organizations (Capítulo 3: Sensemaking in organizations). Tradução Aline Vieira Malanovicz. London: Sage, 1995. Disponível em: . Acesso em: 23 jan. 2015.

YIN, R. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Tradução Daniel Grassi. Porto Alegre: Editora Bookman, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Práticas em Gestão Pública Universitária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES E DIRETÓRIOS

Google Acadêmico | sumários.org  | LivRe! | Diadorim | Latindex | DOAJ