O SISTEMA ELETRÔNICO DE INFORMAÇÃO SEI BAHIA: FACILITADOR DA GESTÃO DE PROCESSOS NO PERÍODO PANDÊMICO NA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA

Tainá das Mercês Oliveira

Resumo


Com o objetivo de reduzir a lentidão, a morosidade, os custos com papéis, modificar o que tradicionalmente era visto como a única forma certa de tramitar processos e com o intuito de modernização e soluções a alguns problemas existentes, a Universidade do Estado da Bahia aderiu ao Sistema Eletrônico de Informação (SEI Bahia) anos antes do contexto da COVID-19 e conseguiu no período pandêmico lidar com as adversidades que o cenário propôs com o distanciamento social e o trabalho remoto. A abordagem adotada nessa pesquisa foi a qualitativa. O objetivo deste trabalho é a partir da pesquisa bibliográfica de tecnologia da informação e documental do sistema e a coleta de dados do Portal SEI Ba com a finalidade de contribuir para que as organizações possam perceber que a adesão a inovação tecnológica pode ajudar na redução de custos, mas que não se limita a isso, ela também permite que em cenários considerados excepcionais possa cumprir o princípio da continuidade do serviço público. A implantação do SEI Ba demonstrou avanços para gestão pública universitária e com a pandemia conseguiu demonstrar ainda mais as suas forças e oportunidades.


Palavras-chave


Universidade; Gestão de Processo na pandemia; Tecnologia de Informação.

Texto completo:

PDF

Referências


BAHIA. SEI (2020). SEI Ba. Disponível em: acesso em: 30 de agosto de 2021.

BASTOS, C. R.. Curso de direito administrativo, 2. ed. – São Paulo : Saraiva, 1996, p. 165.

BRESSER-PEREIRA, L. C.. Democracia, Estado Social e Reforma Gerencial. Revista da Administração Pública. V. 50, São Paulo, Jan/Mar 2010.

CARNEIRO, T. C. J. Integração organizacional e tecnologia da informação: um estudo na indústria farmacêutica. Tese (Doutorado em Administração) – UFRJ, Instituto COPPEAD, Rio de Janeiro, 2005.

CRUZ, T. Sistemas de Informações Gerencias – Tecnologia da Informação e a Empresa do Século XXI. São Paulo: Atlas, 2000.

DRUCKER, P. F. Inovação e espírito empreendedor – Entrepreneurship: práticas e princípios. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 1987.

GASPARINI, D. Direito Administrativo. 11.ed. São Paulo: Saraiva, 2006, p.17

OLIVEIRA, D. de P. R. de. Sistemas de informações gerenciais. 11. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

REZENDE, D. A.; ABREU, A. F. de. Tecnologia da informação aplicada a sistemas de informação empresariais: o papel estratégico da informação e dos sistemas de informação nas empresas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2003

SANTOS, B. de S. Da ideia de universidade à universidade de ideias. In: Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 6. ed. São Paulo: Cortez, 1999.

TURBAN, E.; McLEAN, E.; WETHERBE, J.. Tecnologia da Informação para Gestão: Transformando os Negócios na Economia. 6º Ed. São Paulo, Bookman: 2010.

UNEB (2012). Regimento da Uneb. Disponível em: acesso em: 30 de agosto de 2021.

WANDERLEY, L. E. O que é universidade. São Paulo: Brasilense, 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Práticas em Gestão Pública Universitária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES E DIRETÓRIOS

Google Acadêmico | sumários.org  | LivRe! | Diadorim | Latindex | DOAJ | Miguilim