PARA DEMÉTER E PERSÉFONE: AS TESMOPHORIANTES NA PERSPECTIVA CÔMICA DE ARISTÓFANES

Autores

  • Ana Teresa Marques Gonçalves Professora adjunta de História Antiga e Medieval da Universidade Federal de Goiás. Doutora em História Econômica pela USP. Bolsista Produtividade do CNPq.
  • Giselle Moreira da Mata Professora com Graduação, Especialização e Mestrado em História pela Universidade Federal de Goiás, orientada pela Profa. Dra. Ana Teresa Marques Gonçalves.

Palavras-chave:

feminino, Tesmophorias, identidade, religiosidade.

Resumo

A religiosidade grega nos permite visualizarmos uma área da vida pública na qual o feminino possuía um espaço reconhecido e ativo. Por meio de um dos mais famosos ritos que integravam as festividades dedicadas ao deus Dioniso, as representações dramáticas, tivemos a oportunidade de evocar as relações entre os gêneros na Atenas do século V a.C. O ateniense e comediógrafo Aristófanes, por meio da comédia intitulada As mulheres que celebram as Tesmophorias, nos apresenta uma importante contribuição para os estudos relativos ao mundo Antigo, informando acerca do feminino e sua notoriedade no que concerne à existência e ao equilíbrio da vida dos mortais no rito das Tesmophorias dedicado às deusas Deméter e Perséfone.

Downloads

Publicado

2020-07-24

Como Citar

GONÇALVES, Ana Teresa Marques; DA MATA, Giselle Moreira. PARA DEMÉTER E PERSÉFONE: AS TESMOPHORIANTES NA PERSPECTIVA CÔMICA DE ARISTÓFANES. PHOÎNIX, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 58–74, 2020. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/phoinix/article/view/36543. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>