As estratégias sonoras de Chantal Akerman

Natália Marchiori da Silva

Resumo


O presente artigo objetiva analisar as estratégias sonoras utilizadas nos filmes Saute ma ville (1968) e Jeanne Dielman, 23 Quai du Commerce, 1080 Bruxelles (1975), ambos da cineasta belga Chantal Akerman. Através da análise fílmica é investigada a forma como a diretora constrói as sensações de claustrofobia doméstica, e como o canto sussurrado no primeiro curta-metragem de Akerman, Saute ma ville, e as músicas colocadas por Jeanne Dielman para serem ouvidas com seu filho colaboram para a construção de tais sensações.


Palavras-chave


Chantal Akerman. Canto. Música. Estilo. Sensações.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.47146/rbm.v33i1.33334

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE MÚSICA ©2020 ISSN 0103-7595
Revista do Programa de Pós-Graduação em Música da UFRJ (PPGM-UFRJ)
Av. República do Chile, 330, Torre Leste, 21° Andar
Rio de Janeiro, RJ, Brasil – CEP 20031-370
E-mail: revista@musica.ufrj.br
Powered by: OJS