A Biblioteca Pública como ambiente de aprendizagem: casos de makerspaces, learning commons e co-working

Manoela Ferraz Moyses, Claudia Renata Mont'Alvão, Marianna Zattar

Resumo


O presente artigo tem como objetivo apresentar a biblioteca pública diante das tendências interativas e colaborativas no processo de aprendizagem. Contextualiza a educação e a influência das tecnologias da informação e comunicação no processo de ensino- aprendizagem. Aborda a importância do espaço físico no processo de aprendizagem. Trata a educação não formal e como os espaços não educacionais colaboram com a educação formal. Define a biblioteca pública e apresenta as suas missões relacionadas com informação, alfabetização, educação e cultura, proclamadas no Manifesto sobre a biblioteca pública, publicado pela International Federation of Library Associations and Institutions (IFLA) e pela UNESCO, em 1994. Aponta os espaços inovadores em bibliotecas, como os makerspaces, os learning commons e os espaços de coworking, que tornam a biblioteca mais ativa, colaborativa, criativa e inovadora, o que difere dos modelos tradicionais, que enfatizam o consumo de conhecimento. Foi estruturado a partir de uma pesquisa bibliográfica, com uma abordagem qualitativa. Conclui que as inovações no espaço as tornam mais acolhedoras e atrativas para a comunidade que servem, sendo não apenas vista não como ambiente de aprendizagem, mas também como centro de socialização e de convivência.


Palavras-chave


Biblioteca pública; Ambiente de aprendizagem; Makerspaces; Learning commons; Espaço de co-working

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.47681/rca.v4i2.30981

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.

ISSN: 2525-7935

Bases de Dados e Diretórios