Caracterização do perfil de adoecimento por LER/DORT em um centro de referência em saúde do trabalhador / Characterization of the profile of adoption by reading / wrath in a worker health reference center

Nilson Rogério da Silva, Pedro Fernandes Junqui, Meire Luci da Silva

Resumo


As Lesões por Esforço Repetitivo/Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho apareceram com maior incidência a partir do final dos anos 70, com destaque na década de 80. Atualmente um problema significativo entre trabalhadores nos mais diversos segmentos laborais, ocasionando elevado contingente de trabalhadores lesionados com prejuízo para saúde e consequentemente para produção, justificando a importância de estudos dessa temática. O objetivo deste estudo foi caracterizar o perfil de adoecimento por LER/DORT de usuários do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador de uma cidade de médio porte no interior de São Paulo, entre o período de 2016 a 2017. A coleta de dados foi realizada a partir de um banco de dados informatizado, onde são registradas informações pessoais e profissionais dos usuários, bem como registro de acompanhamento e evolução do tratamento. Para a análise dos resultados foram aplicados cálculos de estatística descritiva. Os resultados revelaram prevalência da Síndrome do Manguito Rotador, seguida da Dor Lombar Baixa e Síndrome do Túnel do Carpo. Estas foram mais frequentes em mulheres, trabalhadoras domésticas, com predomínio de adoecimento acima de 40 anos de idade e em relação à evolução clínica houve predomínio de alta por melhora e elevada evasão do tratamento. Espera-se que os resultados ofereçam subsídios para a implantação de ações de prevenção e promoção da saúde, bem como de intervenção junto aos trabalhadores, além de nortear políticas públicas de atenção a essa população.

 

Abstract

Repetitive Strain Injury / Work-Related Musculoskeletal Disorders appeared with greater incidence from the late 1970s onwards, especially in the 1980s. Currently a significant problem among workers in the most diverse occupational segments, causing a high contingent of injured workers with injury for health and consequently for production, justifying the importance of studies of this theme. The aim of this study was to characterize the Repetitive Strain Injury / Work-Related Musculoskeletal Disorders profile of users of the Occupational Health Reference Center of a medium-sized city in the interior of São Paulo, from 2016 to 2017. Data collection was performed from a computerized database, where users' personal and professional information is recorded, as well as monitoring and treatment evolution records. For the analysis of the results, descriptive statistics calculations were applied. The results revealed a prevalence of rotator cuff syndrome, followed by low back pain and carpal tunnel syndrome. These were more frequent in women, domestic workers, with a predominance of illness above 40 years of age and in relation to clinical evolution, there was a predominance of high for improvement and high treatment dropout. The results are expected to offer subsidies for the implementation of health prevention and promotion actions, as well as intervention with the workers, besides guiding public policies of attention to this population.

Keywords: Occupational Diseases, Occupational Health, Occupational Therapy, Rehabilitation, Vocational 

Resumen

Las lesiones por esfuerzo repetitivo / trastornos musculoesqueléticos relacionados con el trabajo aparecieron con mayor incidencia desde finales de los años setenta en adelante, especialmente en la década de 1980. Actualmente es un problema importante entre los trabajadores en los segmentos laborales más diversos, causando un alto contingente de trabajadores lesionados con lesiones. para la salud y, en consecuencia, para la producción, justificando la importancia de los estudios sobre este tema. El objetivo de este estudio fue caracterizar el perfil de enfermedad lesiones por esfuerzo repetitivo / trastornos musculoesqueléticos relacionados con el trabajo de los usuarios del Centro de Referencia de Salud Ocupacional de una ciudad mediana en el interior de São Paulo, de 2016 a 2017. Se realizó la recolección de datos. de una base de datos computarizada, donde se registra la información personal y profesional de los usuarios, así como los registros de seguimiento y evolución del tratamiento. Para el análisis de los resultados, se aplicaron cálculos estadísticos descriptivos. Los resultados revelaron una prevalencia del síndrome del manguito rotador, seguido de dolor lumbar y síndrome del túnel carpiano. Estos fueron más frecuentes en mujeres, trabajadoras domésticas, con un predominio de enfermedades mayores de 40 años y en relación con la evolución clínica, hubo un predominio de alta para mejoría y alta deserción del tratamiento. Se espera que los resultados ofrezcan subsidios para la implementación de acciones de prevención y promoción de la salud, así como la intervención con los trabajadores, además de orientar políticas públicas de atención a esta población.

Palabrasclave: Enfermedades Profesionales, Salud Laboral, Terapia Ocupacional, Rehabilitación Vocacional.

 

 


Palavras-chave


Doenças Profissionais, Saúde do trabalhador, Terapia Ocupacional, Reabilitação Vocacional.

Texto completo:

PDF

Referências


Lancman S; Ghirardi MIG. Pensando novas práticas em terapia ocupacional, saúde e trabalho. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo. 2002; 13(2):44-50.

Silva FMN; Vendrúsculo-Fangel LM; Rodrigues DS. A Terapia Ocupacional e a saúde do trabalhador: panorama de produção bibliográfica. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. São Carlos; 2016. 24 (2): 351-361.

Sanches EM; Cutolo, LRA; Soares P; Silva RM. Organização do trabalho, sintomatologia dolorosa e significado de ser portador de LER/DORT, Psicol. Argum.; 2010. 28(63):313-32.

Andrade PS; Cardoso TAO. Prazer e dor na docência: revisão bibliográfica sobre a síndrome e burnout. Saúde e Sociedade. São Paulo; 2012. 21(1): 129-140.

Brasil. Ministério da Saúde do Brasil. Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde. Brasília, D.F., 2001. (Série A. Normas e manuais técnicos; n.114).

Brasil. Boletim Epidemiológico. Secretaria de Vigilância em Saúde − Ministério da Saúde − Brasil, 2017.

Ministério da Previdência Social. Instrução Normativa n.º 98, de 5 de dezembro de 2003. Aprova Norma Técnica sobre Lesões por Esforços Repetitivos-LER ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho–DORT. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 10 dez. 2003. Disponível em: DF, 10 dez. 2003. Disponível em: http//www.mpas.org.br.

Moraes PWT; bastos AVB. As LER/DORT e os fatores psicossociais. Arq. bras. Psicol.. Rio de Janeiro; 2013. 65 (1):2-20.

Negri JR. et al. Perfil sociodemográfico e ocupacional de trabalhadores com LER/DORT: estudo epidemiológico. Revista Baiana de Saúde Pública; 2014. 38 (3):555-570.

Araújo MA; Paula MVQ. LER/DORT: um grave problema de saúde pública que acomete os cirurgiões-dentistas. Rev APS; 2003. 6(2):87-93.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador. Dor relacionada ao trabalho: lesões por esforços repetitivos (LER): distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT) / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador, Brasília: Ed. Ministério da Saúde, 2012.

Brasil. Ministério da Saúde. Lesões por Esforços repetitivos (LER). Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT). Brasília, 2006.

Silva NR; Toyoda CY. Avaliação de condições de trabalho em uma universidade pública e sua relação com o surgimento de doenças ocupacionais. Rev. Salusvita, Bauru-SP; 2002. 21(1):35–65.

Alencar MC B; Ota, NH. O afastamento do trabalho por LER/DORT: repercussões na saúde mental. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo; 2011. 22(1):60-67.

Medeiros MFN; Medeiros LM. Sintomas de Ler/Dort em Profissionais Cabeleireiros da Cidade de Cajazeiras, Paraíba, Revista Brasileira de Ciências da Saúde; 2012. 16(1):7-12.

Zavarizzi C; Alencar MCB. Aspectos relacionados ao afastamento de bancários por LER/DORT, Cad. Ter. Ocup. UFSCar. São Carlos-SP; 2014. 22(3):487-496.

Alencar MCB; Nobre TL. Adoecimento e o sofrimento de trabalhadores acometidos por LER/DORT. Revista de Psicologia. Fortaleza; 2017. 8(2):8-18.

Takahashi MABC et al. Programa de reabilitação profissional para trabalhadores com incapacidades por LER/DORT: relato de experiência do CEREST-Piracicaba, SP. Rev. bras. saúde ocup, São Paulo; 2010. 35(121):100-111.

Saldanha, JHS et al. Facilitadores e barreiras de retorno ao trabalho de trabalhadores acometidos por LER/DORT. Rev. bras. saúde ocup., São Paulo; 2013. 38(127):122-138.

Santos RLX; Silva Junior, EZ; Andrade, RAR; Andrade, ESS. Lesão por esforços repetitivos (LER/DORT) em cirurgiões-dentistas da Clínica Odontológica da Polícia Militar de Pernambuco. Odontol. Clín.-Cient; 2013. 12(3):277-287.

Jacques CC; Antônio GGD; Bentes FM. Distúrbios osteomusculares no ombro: síndrome do manguito rotador e síndrome do impacto. Uma abordagem biomecânica. Rev. Augustus; 2017. 22(44):89-106.

Nascimento PRC; Costa, LOP. Prevalência da dor lombar no Brasil: uma revisão sistemática. Cad. Saúde Pública. Rio de Janeiro; 2015. 31(6):1141-1155.

Chammas M; Boretto J; Burmannc LM. Ramos RM; Santos Neto FC; Silva JB. Síndrome do túnel do carpo - Parte I (anatomia, fisiologia, etiologia e diagnóstico). Rev. bras. ortop. São Paulo; 2014. 49(5):429-436.

Cohen M; Filho GRM. Epicondilite lateral do cotovelo. Rev bras ortop.; 2012. 47(4):414-20.

Pessoa, JCS; Cardia MCG; Santos, MLC. Análise das limitações, estratégias e perspectivas dos trabalhadores com LER/DORT participantes do grupo PROFIT-LER: um estudo de caso. Ciência & Saúde Coletiva; 2010. 15:821-830.

Viegas LRT; Almeida MMC. Perfil epidemiológico dos casos de LER/DORT entre trabalhadores da indústria no Brasil no período de 2007 a 2013. Rev. bras. saúde ocup. São Paulo; 2016. 41:e22.




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto25850

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

   

           

   Resultado de imagem para REDIB